segunda-feira, 11 de maio de 2015

ENQUANTO BOMBEIROS REFORÇAM SAÚDE, SAÚDE REFORÇA OUTROS ÓRGÃOS

Saúde tem 3.496 profissionais cedidos para outros orgãos


Retorno de servidores pode ampliar o atendimento na rede estadual 

Um em cada quatro funcionários da Secretaria estadual de Saúde está cedido para outro órgão, instituto, prefeitura, hospital federal, unidade de saúde em outra cidade, universidade ou até sindicato. Dos 14.200 servidores públicos vinculados à pasta, 3.496 não trabalham no órgão. Entre eles, há 1.152 médicos, 577 auxiliares e técnicos de enfermagem e 247 enfermeiros, além de assistentes sociais, psicólogos, farmacêuticos e profissionais de outras 13 categorias. Por mês, os profissionais cedidos a outros postos representam um gasto de R$ 8 milhões que, segundo a secretaria não são repassados — na maioria dos casos — aos órgãos onde prestam serviço efetivamente.

Uma resolução publicada no Diário Oficial de 27 de fevereiro determinou que os funcionários se apresentassem até 1º de abril. Quem não compareceu deve, agora, se dirigir à secretaria, na Rua México 128, no Centro do Rio. Caso contrário, esses profissionais correm o risco de ter o salário descontado e de serem demitidos por abandono de emprego.

— São quase 4 mil servidores (nessa situação), e preciso saber onde estão lotados. Temos déficit de profissionais em algumas unidades, e o retorno deles com certeza melhoraria o atendimento na rede — afirmou o secretário estadual de Saúde, Felipe Peixoto.

Entre os locais que requisitaram profissionais está a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), onde estão 13 dos médicos cedidos, além de dois técnicos de laboratório, dois técnicos de enfermagem, um auxiliar de enfermagem, um biólogo e outros dez profissionais . Já a Câmara de Vereadores tem um médico e um técnico de enfermagem.

Entre os municípios, o de Campos dos Goytacazes é o que tem o maior número de profissionais do estado cedidos ao Sistema Único de Saúde (SUS): 383 pessoas, das quais 140 são médicos e 61, agentes administrativos de saúde. Em Niterói, há 281 cedidos (95 deles são médicos; 29, enfermeiros; e 49, auxiliares e técnicos de enfermagem). Nova Iguaçu tem 202 cedidos: 47 deles são médicos. Em Duque de Caxias, há 150 profissionais, dos quais 48 são auxiliares de enfermagem.






FONTE: EXTRA

10 comentários:

  1. Aproveitando,solicitamos o retorno de todos is miliatres do cbmerj,sejam da saúde ou combatentes,só devem ser respeitados os militares com problemas de saúde e que estão em acompanhamento médico,no cbmerj precisamos saber quantos militares estão encostados em órgãos do estsdo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quer saber mesmo? Tem 950 BMs da área de saúde cedidos para as UPAs, por isso que vc não consegue marcar consulta no CBMERJ, quando consegue é com dois ou três meses. No Detran tem mais 200, a Secretaria de fazenda, mais 150, na ALERJ tem 95, no INEA, na SUIPA, e até escolas e no BRADESCO tem BMs emprestados. Nas 92 prefeituras do município do RJ tem mais trocentos. São quatro mil Bombeiros lotados em órgãos externos. É só pegar a lista na DGPOE que vcs irão ver onde estão quatro mil Bombeiros que recebem salário de militar e ainda recebem uma gratificação para ocupar a vaga que seria de um civil concursado. Se estes Bombeiros trabalhassem no CBMERJ nem precisava de concurso.

      Excluir
    2. Primeiramente vários concursos da aérea de saúde do cbmerj não foram para os militares prestarem serviços aos militares da corporação e SIM a POPULAÇÃO do estado. Depois se informe melhor, pois não tem mais militares em UPAS, estas são geridas por OSs.

      Excluir
    3. Já foram feitos vários concursos para militares da saúde para projetos para atenderem a população e não para atender os militares da corporação, sendo assim não existe nada de errado em atender em upas foi feito um concurso para isso.Os militares não foram desviados da corporação para isso e sim com essa finalidade, se informe melhor.

      Excluir
  2. Ten Pamela....anotem bem esse nome, prendeu militares do 2/15 (Itaipava) por pararem na padaria com a ASE e com a maior 'cara de pau' usa o AR do destacamento para fins particulares, no dia 07/05 se deslocou cerca de 50 km até a cidade de Tres Rios para tratamento dentário em um consultório particular de um capitão BM.... Muita hipocrisia de uma pessoa que se acha acima do bem e do mal!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Amigos liguem para o mp numero 127e façam suas reclamações,não pode ecidtir dois pesos e duas medidas.

    ResponderExcluir
  4. Tem 950 BMs da área de saúde cedidos para as UPAs, por isso que vc não consegue marcar consulta no CBMERJ, quando consegue é com dois ou três meses. No Detran tem mais 200, a Secretaria de fazenda, mais 150, na ALERJ tem 95, no INEA, na SUIPA, e até escolas e no BRADESCO tem BMs emprestados. Nas 92 prefeituras do município do RJ tem mais trocentos. São quatro mil Bombeiros lotados em órgãos externos. É só pegar a lista na DGPOE que vcs irão ver onde estão quatro mil Bombeiros que recebem salário de militar e ainda recebem uma gratificação para ocupar a vaga que seria de um civil concursado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os bombeiros não foram desviados da corporação para as Upas, foi feito um concurso para isso, atuarem em upas, se estão nas upas, estão aonde deveriam estar. Bombeiro da saúde não serve somente para atender militares da corporação e sim a população também.

      Excluir
    2. Tá bom, vamos aliviar os que estão nas UPAs, mas e os que estão no Detran? tem mais 200, a Secretaria de fazenda?, mais 150, na ALERJ? tem 95, no INEA?, na SUIPA, e até escolas e no BRADESCO tem BMs emprestados. Nas 92 prefeituras do município do RJ tem mais trocentos. São quatro mil Bombeiros lotados em órgãos externos. É só pegar a lista na DGPOE que vcs irão ver onde estão quatro mil Bombeiros que recebem salário de militar e ainda recebem uma gratificação para ocupar a vaga que seria de um civil concursado. Defende aí esse desvio de função.

      Excluir
    3. E antes que eu esqueça, todos sabem que o concurso para a saúde, é para admitir civis, eles fizeram concurso para serem militares do Corpo de Bombeiros e não para a Secretaria de saúde.

      Excluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.