segunda-feira, 29 de junho de 2015

Em Portugal, Bombeiros profissionais pedem demissão da Ministra

Com a época dos incêndios a aproximar-se, a Associação Nacional de Bombeiros Profissionais (ANBP) ameaçou neste domingo que está disposta a avançar para uma greve nacional, se a ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, persistir em não se encontrar com os representantes do sector e a ouvir o que têm a dizer.

Mais de 200 bombeiros profissionais aprovaram, este domingo, por unanimidade, em congresso nacional, um pedido de demissão da ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, avisando que poderão optar pela greve.

     Mais de 200 bombeiros profissionais aprovaram este domingo, por unanimidade, em congresso nacional, um pedido de demissão da ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, avisando que poderão optar pela greve. 
     Os participantes no Congresso Nacional dos Bombeiros Profissionais (que inclui sapadores, municipais, de associações humanitárias e da força especial) consideram que o setor vive "constantes e graves problemas". 
     Perante o cenário, o Ministério da Administração Interna não tem sabido "zelar pelos direitos e interesses dos bombeiros", criticam, em comunicado. 
     A ministra, que ainda não recebeu a Associação Nacional de Bombeiros Profissionais, é acusada de "indiferença" face ao setor.  

Bombeiros exigem que a ministra os ouça 

     Anabela Rodrigues "não aplicou o que foi acordado pelo ex-ministro da Administração Interna [Miguel Macedo] e seu ministério, que se comprometeu a publicar o novo estatuto profissional". Ao mesmo tempo, "não aprovou o desbloqueamento das carreiras" e "não reconheceu o regime específico de aposentação para todos os bombeiros profissionais", refere o documento. Anabela Rodrigues também "não reconhece a atividade dos bombeiros como profissão de risco e desgaste rápido", lamentam. 
     No comunicado, os bombeiros avisam que, "se a ministra continuar a não [os] ouvir", pretendem "avançar para todas as formas de luta possíveis, incluindo uma greve nacional". A crítica estende-se ao primeiro-ministro, pela "inércia" e por não se preocupar "com a segurança das populações". Os bombeiros acusam o Governo de negar o financiamento necessário às câmaras municipais e de não desbloquear a progressão na carreira e o preenchimento dos quadros, destacando que "há uma enorme falta de efetivos para a prestação plena do socorro".

Ler mais em: Jornal Correio da Manhã

Um comentário:


  1. Policiais militares revoltados com cortes na alimentação
    Reprodução da Época online.


    Se o BOPE, que é a tropa de elite, está sofrendo cortes no rancho (alimentação), vocês podem imaginar nos outros batalhões. Em vários batalhões a solução adotada para garantir as refeições dos policiais é correr o comércio da região, principalmente supermercados, para pedir doações. Em troca os comandantes reforçam a ronda no local dos estabelecimentos que colaboraram. Enquanto os policiais militares sofrem com o rancho, Beltrame foi para Paris degustar comida francesa.

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.