domingo, 2 de agosto de 2015

Após parcelamento de salários, associação de PMs pedirá prisão de governador Sartori

Segundo entidade, político descumpriu medida judicial

Entrevista coletiva será às 11h desta sexta-feira, no Palácio Piratini

Por causa do parcelamento de salários de servidores estaduais pelo Poder Executivo, a Associação Beneficente Antônio Mendes Filho da Brigada Militar - ABAMF (de servidores de nível médio) pretende protocolar uma ação judicial no Tribunal de Justiça pedindo a prisão do governador José Ivo Sartori.

Em coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira, o secretário da Fazenda, Giovani Feltes, justificou o parcelamento dos salários, creditando a medida às dívidas do Rio Grande do Sul. Segundo o secretário, houve queda de R$ 50 milhões nos tributos estaduais e R$ 24 milhões nas transferências da União.

O argumento da associação é de que Sartori descumpriu uma decisão do Tribunal Pleno, do Tribunal de Justiça do Estado, em maio, que obriga o governo estadual a pagar os salários em dia, sem parcelamento, de soldados, cabos, sargentos e tenentes ativos e inativos da BM.

— Em tese, o governador teria até o fim do dia para complementar os salários, por isso é que optamos por aguardar o anúncio oficial. Para se ter uma ideia, um soldado da BM recebe R$ 2.600. Um tenente no fim da carreira, após 25 anos, recebe R$ 5.600. Ou seja, não somos nós que causamos os problemas nos cofres públicos. Não se pode penalizar quem está na base — diz o secretário geral da associação, Ricardo Agra.

Com salários parcelados pelo governo do Estado, que depositou R$ 2.150 nesta sexta-feira, servidores que recebem acima de R$ 3.150 só devem ter seus vencimentos de julho integralizados até 25 de agosto, em três parcelas. Quem ganha até R$ 3.150 receberá os R$ 1 mil faltantes no dia 13 de agosto.

FONTE: PIONEIRO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.