sábado, 8 de agosto de 2015

SERVIDORES DO JUDICIÁRIO PROCURAM A ABMERJ E SOLICITAM APOIO DOS BOMBEIROS


Categoria reivindica reajuste salarial entre 53% e 78,56%, dependendo da classe e do padrão do servidor
AGÊNCIA BRASIL


Brasília - Servidores do Judiciário começaram a se reunir em frente ao Palácio do Planalto por volta das 10h. Assim como em outras manifestações, houve buzinaço e os funcionários usaram cornetas para reivindicar da presidenta Dilma Rousseff a sanção do projeto de lei que reajusta o salário da categoria entre 53% e 78,56%, dependendo da classe e do padrão do servidor. A presidenta tem até o final desta terça-feira para decidir a questão.
 
 
Categoria reivindica reajuste salarial entre 53% e 78,56%, dependendo da classe e do padrão do servidorFoto: Agência Brasil

A Polícia Militar fez um cordão de isolamento para impedir que os servidores ocupem a pista em frente ao Palácio do Planalto. De acordo com a Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal (Fenajufe) e com o Ministério Público da União (MPU), está previsto um ato, a partir das 15h, na Praça dos Três Poderes, seguido de uma vigília que deve durar até a manhã desta quarta-feira. Os servidores, em greve desde o dia 9 de junho, têm feito várias manifestações em prol do reajuste, mesmo antes da votação no Congresso.

Autoridades do governo já sinalizaram que o reajuste deve ser vetado pela presidenta Dilma. Nesta segunda-feira, o ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, declarou que uma sanção fugiria do ajuste fiscal proposto pelo governo, mas não fechou as portas para conversas com a categoria. “O reajuste [do Judiciário] não se diz compatível com o ajuste fiscal. A tendência é vetar, mas, independentemente dessa decisão, continuamos fazendo as negociações.”

Na última quinta-feira, em um dos atos em frente ao Palácio do Planalto, o coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário do Distrito Federal (Sindijus), José Alves, disse que há uma mobilização para que os parlamentares derrubem um provável veto. “Caso haja o veto, já estamos com um grupo de servidores dentro do Congresso Nacional coletando assinaturas. Até o momento, temos 302 assinaturas de deputados e 45 de senadores solicitando a sanção ao governo.”

2 comentários:

  1. Apoiar sempre, mas 53 e 78% é sacanagem. Se fossem os deputados pedindo este aumento não iriam apoiar. Discernimento é bom.

    ResponderExcluir
  2. Bombeiro da fileira "caneta"11 de agosto de 2015 20:01


    Anônimo9 de agosto de 2015 06:52

    Sobre a matéria que convoca bombeiros-militares pra entrarem com ação retirando o fundo de saúde pra manutenção da área medica do CBMERJ; opino:

    Poderia algum Oficial Superior Médico ir às 4 Alas dos quartéis e tb enviarem uma circular à residência dos bombeiros militares q estão cedidos em Órgaos Externos para explicar o caos q será nos hospitais e policlínicas sem receberem o Fundo de Saúde, que hj é descontado no contracheque do bombeiro militar do Rio de Janeiro ? O bombeiro hj, conforne link a seguir, está praticamente sendo convidado a retirar tal desconto - amanhã quando ele ou seu familiar precisar dos serviços médicos do CBMERJ - sente e chore. Não existe milagre na Economia - sem dinheiro nada. Ainda existe o risco do Estado do RJ assumir integralmente a nossa rede hospitalar e além de nós, todo povo do RJ usa-las. Aí pergunto: pelo q se vê hj nos Carlos Chagas, Souza Aguiar, vc ainda quer que o HCAP se estadualize ? Pense bem.

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.