terça-feira, 15 de setembro de 2015

54% dos presos no RJ ficaram atrás das grades indevidamente, diz estudo

Dados são com base nas prisões realizadas na capital fluminense em 2013.
Levantamento da Viva Rio e Cesec destaca problema da prisão provisória.

Levantamento realizado pela ONG Viva Rio em parceria com o Centro de Estudos de Segurança e Cidadania da Universidade Cândido Mendes (Cesesc) aponta que 54,4% das pessoas presas durante um ano na cidade do Rio de Janeiro foram mantidas nas cadeias indevidamente.

Os dados são de 2013 e apontam que, em média, os presos ficaram atrás das grades por 101 dias antes de terem direito a um julgamento.

Dos 7.734 presos no ano, apenas 1.437 (18,6%) foram condenados ao regime fechado.
Outros 772 foram absolvidos e, em 294 dos casos, os processos foram arquivados.  Boa parte (1.273) teve direito a medidas alternativas em regime aberto.

Realizado com base em processos criminais iniciados com suposto flagrante e registrados no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, o estudo tem como objetivo chamar a atenção para o uso ilegal e indevido da prisão provisória no país.

Segundo os dados, em 10% das situações registradas, “o crime cometido foi tão leve que são feitos acordos com a Justiça”, como a determinação de tratamento para dependência toxicológica e suspensão do processo desde que o réu não volte a cometer crimes.

Do total de presos em 2013, 20,8% deles (1.610) ainda aguardam o julgamento, sendo que 171 estão presos e 1.439, em liberdade.

A manutenção das prisões indevidamente naquele ano na cidade do Rio de Janeiro custou aos cofres públicos R$ 45 milhões, segundo o estudo.

FONTE: G1

2 comentários:

  1. Kkkkkkkkk........vcs sao uma piada! Kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Para encobrir essa piada, poderiam escrever que eles não prendem quem tem q prender....

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.