domingo, 11 de outubro de 2015

'Bombeiros impediram uma tragédia', diz Paes sobre incêndio na Uruguaiana

Prefeito esteve na manhã deste domingo no mercado popular e afirma que 150 boxes foram atingidos pelo fogo
O DIA


Rio - Mais de 150 boxes do setor D foram destruídos pelo incêndio que atingiu o Mercado Popular da Uruguaiana na madrugada deste domingo. O prefeito Eduardo Paes esteve no local e lamentou o incidente e disse que o mercado popular deve ser reaberto parcialmente na próxima terça-feira.

"A ação rápida dos bombeiros impediu que tivéssemos uma tragédia maior. Mais de 150 boxes sofreram com o incêndio, o que representa cerca de 10% de todo o camelódromo. É uma perda, sem dúvida. Dos que foram atingidos quase não sobrou nada. Mas a maior parte já vai poder voltar a funcionar na terça-feira", afirma.

De acordo com Paes, a prefeitura vai trabalhar para que o camelódromo volte a funcionar normalmente o mais rápido possível. O prefeito vai se reunir nesta segunda-feira, na Cidade Nova, com os representantes das associações. "Este é um equipamento importante para a cidade", completa.

Bombeiros de seis quarteis trabalharam para combater o fogo. Segundo a corporação, o trabalho dos militares está na fase de rescaldo e não há informações de vítimas. A pista da Avenida Presidente Vargas, sentido Candelária, que ficou fechada durante toda a manhã, foi reaberta por volta das 12h30.

Um dos donos dos boxes atingido prestou depoimento na 4ªDP (Praça da República), onde o caso foi registrado, os agentes já realizaram a perícia no camelódromo. Os policiais agora buscam por testemunhas e informações que possam ajudar no caso.

Camelódromo foi alvo de grande operação em julho

Em julho, o local ficou interditado por quase uma semana, por conta de uma megaoperação da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) e da Delegacia de Combate aos Crimes contra Propriedade Imaterial (DRCPIM). Na época, foram apreendidas 4,5 toneladas de mercadoria.

A operação de julho começou após uma investigação de três meses da DRCPIM. A participação de milicianos na segurança do camelódromo também vinha sendo investigada. Além disso, políticos e policiais usariam ‘laranjas’ para conseguirem permissões de boxes, e os alugariam por até R$ 30 mil.

Na ocasião, a presidente da União dos Comerciantes, Rosalice Rodrigues Oliveira, admitiu 40% dos boxes vendiam produtos falsificados. Mas ela se defendeu, lembrando que a associação só tem o poder de orientar, e não o papel de polícia.

FONTE: O DIA

3 comentários:

  1. Cadê a PL 33 ??? DACIOLOOOO

    ResponderExcluir
  2. O vereador não faz nada. Será que o deputado pode nos ajudar?? PL 33. OBRIGADO

    ResponderExcluir
  3. E o abono de 2 mil no natal vai para quem?! Para o TJ -RJ!!! Afinal, são eles que evitam essas tragédias e prestam um serviço essencial para a população, arriscando a própria vida..... Bombeiro só tem valor para as crianças....

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.