quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Lideranças evangélicas pedem saída de Cunha da presidência da Câmara

Segundo o texto, denúncias de corrupção e envio de recursos públicos para o exterior inviabilizam permanência no cargo

Diversas lideranças evangélicas — entre bispos, pastores, teólogos e leigos — divulgaram nesta quarta um manifesto em que reivindicam a saída de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara dos Deputados.

De acordo com o documento, que será protocolado ainda hoje na Câmara, as "denúncias de corrupção e o envio de recursos públicos para contas no exterior inviabilizam a permanência do deputado Eduardo Cunha no cargo que ocupa".

O texto afirma que as ações de Cunha, "que se identifica como evangélico", merecem repúdio. Frisa também que "a corrupção não é a marca distintiva da política para os evangélicos. Ela é a marca de certa 'safra' de representantes. Mas os evangélicos não somos assim e não podemos mais deixar que nos identifiquem como tal."

Entre os signatários do manifesto, que está disponível para adesões na internet, estão Dom Francisco de Assis da Silva, bispo primaz da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, Marisa Coutinho, bispa da Região Missionária do Nordeste da Igreja Metodista, e Romi Bencke, pastora da Igreja Evangélica de Confissão Luterana do Brasil.

FONTE: O DIA

Um comentário:

  1. Isso é palhaçada, pois se também tivessem pedindo a renúncia de Dilma anta e Renan ladrão - aí tudo bem, mas jogar a sujeira só para um lado? Acho politicagem - tou fora e se daciolo está apoiando isso tou fora!!! Acho que tem que brigar e dizer de todos os ladrões que estão lá Brasília

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.