quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Governo do Rio garante 13º salário de servidores estaduais, mas sem previsão de pagar bônus para policiais

O secretário estadual de Fazenda, Julio Bueno, afirmou nesta quarta-feira que o pagamento da segunda parcela do 13º salário dos servidores não está garantido. Em entrevista à “Rádio CBN”, ele afirmou que não consegue “ter 100% de certeza” de que vai pagar o abono. Restou ao governador Luiz Fernando Pezão colocar panos quentes e garantir que o compromisso será honrado: “Não existe isso (de não pagamento do 13º). Estamos correndo atrás. Até agora, o pagamento não atrasou um dia. Estamos mantendo o calendário. Foram poucos os estados que pagaram 50% do 13º como nós. Agora, é uma luta diária de correr atrás”.

Já os policiais civis e militares, que esperam o pagamento da gratificação do Sistema Integrado de Metas referente ao primeiro semestre de 2015 — que teve o resultado publicado ontem, no Diário Oficial do Estado —, não têm uma boa notícia. “O governador nos solicitou o pagamento. Estamos estudando um jeito de fazer, mas ainda não temos previsão” , disse Bueno ao EXTRA: “A prioridade é o 13º, porque é geral, é para todos”.

Devo, não nego. Pago quando puder....

Onze Batalhões da Polícia Militar e 43 delegacias localizadas em 11 Áreas Integradas de Segurança Pública (Aisps) bateram o Sistema Integrado de Metas e Boas Práticas, referente ao primeiro semestre do ano, e ficaram empatadas em primeiro lugar. Todos os policiais lotados nas unidades e em três Regiões Integradas de Segurança Pública terão um bônus de R$ 13.500. Na premiação por boas práticas, a Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas e o Batalhão da Polícia Rodoviária ficaram na primeira colocação. Serão gastos cerca de 200 milhões. Mas, por enquanto, a comemoração é com o bolso vazio.

‘Eu, que faço as contas, sou mais cauteloso’

Entrevista: Julio Bueno, secretário estadual de Fazenda

O senhor já identificou o erro que fez com que os salários de 70 mil servidores, incluindo PMs, não estivessem disponíveis na manhã desta quarta-feira?

Estamos mudando o sistema, fazendo testes, e deu um problema. Mas pagamos hoje (ontem). Está tudo pago.

O senhor disse que não tem como garantir em 100% o pagamento do 13º. Hoje, qual seria a chance percentual de pagar?

Não sei... Estamos lutando para fazer receita extraordinária. O servidor é nosso principal fornecedor. Ele tem prioridade total. O governador diz “vai pagar o servidor, tem que pagar”. Eu, que faço as contas, sou um pouco mais cauteloso. Cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém.

Qual o custo da segunda parcela?

Seria de R$ 1 bilhão. Hoje, faltam entre R$ 2 bilhões e R$ 3 bilhões para fechar o ano. São despesas com pessoal, fornecedores e dívidas.

FONTE: EXTRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.