domingo, 13 de dezembro de 2015

Deputado evangélico pede impeachment de Michel Temer

Cabo Daciolo lembra que vice assinou também as "pedaladas fiscais"


por Jarbas Aragão

O deputado Cabo Daciolo é um dos membros da bancada evangélica que mais fala sobre sua fé na tribuna da Câmara. Em maio, foi expulso do PSOL, partido pelo qual se elegeu, por pedir que a Constituição dissesse que “todo poder emana de Deus”.

Sem as amarras partidárias, passou a usar seu tempo para pronunciamentos para enfrentar questões que outros parlamentares preferem se esquivar. Em outubro, pediu que Eduardo Cunha, que se diz evangélico, renunciasse ao cargo “para honra e glória de Jesus”.

No início do mês seguinte fez uma convocação santa, dizendo que o povo brasileiro precisava orar e jejuar pelo país. “A nação está doente e precisa ser curada… Haverá uma verdadeira varredura no Congresso”, decretou, e desafiou os demais deputados evangélicos: “os que estão calados que se posicionem”.

De lá para cá o Brasil tem vivido uma crise política onde ao mesmo tempo, podem perder o cargo o presidente da Câmara e a presidente do país. Hoje (10), Daciolo protocolou o pedido de impeachment do vice-presidente da República, Michel Temer.

A acusação é que Temer também deve responder pelo crime de responsabilidade. O governo infringiu a Lei de Responsabilidade Fiscal quando assinou decretos de abertura de crédito que resultaram na acusação das “pedaladas fiscais”.

A petição de Daciolo afirma que a participação do vice-presidente foi ativa e não tão-somente omissiva, tendo ele autorizado indevidamente e sem o aval do Congresso Nacional a liberação de créditos suplementares quando ocupou a presidência em ocasiões que Dilma estava viajando.

O parlamentar requereu ainda que seu pedido seja anexado ao pedido do afastamento da presidente Dilma Rousseff, pois as razões são as mesmas.

Até o momento o cabo não explicou se o seu pedido tem a ver com o mover de Deus que ele profetizou que ocorreria no país. A petição foi feita dentro do prazo que Daciolo afirmou que eram necessários para se mudar a nação do ponto de vista espiritual.

FONTE: GOSPEL PRIME

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.