terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Alerj rejeita projeto de Pezão para extinguir seis fundações e autarquia

Nesta terça-feira, deputados ainda reduziram isenção de taxa para Light fornecer energia elétrica extra nas Olimpíadas

Rio - A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) rejeitou, nesta terça-feira, o projeto do governador Luiz Fernando Pezão de extinguir as seis fundações estaduais e a Superintendência de Desportos do Estado (Suderj). Além disso, os deputados ainda reduziram de R$ 170 milhões para R$ 85 milhões o valor da isenção de ICMS, que havia sido proposto pelo governo, para que a concessionária Light forneça energia elétrica extra para as Olimpíadas.

As fundações que seriam extintas com o projeto eram: Fundação Centro Estadual de Estatísticas, Pesquisas e Formação de Servidores (Ceperj), Fundação para a Infância e Adolescência (FIA), Fundação Santa Cabrini, da Fundação de Artes do Estado (Funarj), da Fundação Museu da Imagem e do Som (MIS) e da Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Fiperj).

Alerj rejeita projeto de Pezão para extinguir seis fundações e autarquiaFoto: Levy Ribeiro / 17.08.2015

Na sessão, o presidente da Alerj, o deputado Jorge Picciani (PMDB), afirmou que a economia prevista na mensagem que pretendia acabar com as fundações era de R$ 88 milhões por ano. “Por outro lado, o governo propõe a isenção de 170 milhões para a Light. Nós reduzimos esse valor à metade, para não prejudicar a Olimpíada, e a outra metade economizada vai ajudar a manter as fundações e não desestruturar o Estado”, explicou Picciani.

Por telefone, a assessoria da Alerj afirmou que o arrecadamento do Estado aumentará em R$ 85 milhões com a redução da isenção, mas essa verba não está ligada diretamente com a manutenção das fundações. 

Para o líder do PMDB, deputado André Lazaroni, a isenção aprovada atende às necessidades dos Jogos Olímpicos. “Esses R$ 85 milhões serão suficientes, e, ao mesmo tempo, estamos salvando essas fundações, que devem ser fortalecidas”, afirmou.

Esse projeto que tinha o objetivo de extinguir as fundações estaduais sofreu críticas e resistência de servidores e deputados, que cobravam mais informações sobre a economia que seria gerada com a proposta e como os serviços seriam mantidos.

FONTE: O DIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.