quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Corte na Segurança ameaça o adicional de policiais

Os cofres vazios do governo do estado ameaçam o pagamento e a continuidade do Regime Adicional de Serviço (RAS) para servidores da Segurança, depois do anúncio de que haverá cortes na pasta comandada pelo secretário José Mariano Beltrame após o carnaval. Ele já manifestou a preocupação com a suspensão do RAS nas Olimpíadas. Os agentes que trabalharam fora do expediente estão sem receber desde novembro de 2015. O governo limita o número de horas extras por policial, mas alguns fazem o serviço em nome de colegas, para aumentar a renda. Ainda não há previsão para o pagamento do RAS. A PM informou que o prazo é de até três meses.

FONTE: EXTRA