quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Estado negocia operação de crédito para cobrir rombo no Rioprevidência

O Tesouro Nacional autorizou, inicialmente, R$ 1 bilhão

Rio - Para tentar cobrir o rombo no déficit previdenciário, o Governo do Rio foi autorizado, nesta quarta-feira, a realizar operações de crédito no valor de R$ 1 bilhão, em concordância com a Resolução nº 43/2001 do Senado Federal. Os recursos servirão para capitalizar o Rioprevidência. O pleito do Estado tem o objetivo de compensar as perdas de royalties do petróleo do Rio, no ano passado, estimadas em R$ 3,5 bilhões. 


Pezão diz que não era o seu deseja aumentar os impostos

Segundo a assessoria do Governo, a operação poderá ser realizada, em breve, dependendo da aprovação do projeto de lei já encaminhado, à Assembleia Legislativa. As condições da operação vão ser negociadas com a instituição financeira escolhida. O projeto autoriza o Poder Executivo a contratar empréstimo para compensação das perdas decorrentes dos royalties do petróleo para capitalizar recursos para o fundo de previdência estadual, que conta com déficit estimado de R$ 12 bilhões.

"A primeira parcela de R$ 1 bilhão já foi autorizada. Os outros R$ 2,5 bilhões eu tenho que ir e negociar de novo em Brasília. Durante o ano de 2016, preciso trabalhar permanentemente e ir lá para conseguir autorização dos outros R$ 2,5 bi. Não estão automaticamente liberados", explicou o governador Luiz Fernando Pezão.

Em sua mensagem à Alerj, o governador afirma que, houve redução no preço do barril de petróleo, a partir de meados de 2014, o que provocou forte queda nas receitas de royalties e participações especiais para o Estado do Rio de Janeiro. O texto destaca que, em junho de 2014, o barril de petróleo tinha o valor superior a 115 dólares e, atualmente, flutua na casa dos 25 dólares, o que representa uma redução de redução de mais de 75%.

FONTE: O DIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.