quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Mudança gera problemas em consignado

As mudanças nas regras do consignado do estado têm impossibilitado que servidores façam novos empréstimos ou renegociem contratos em vigor. Isso ocorre porque os funcionários que estavam com a margem consignável no limite agora estão com a margem negativa, impossibilitando qualquer tipo de nova operação nas instituições financeiras.

Até as alterações que entraram em vigor no último dia 12, os descontos em folha, que anteriormente podiam chegar a 70% da remuneração do servidor, no caso do crédito imobiliário; a 50%, nos cartões de crédito; e a 40% nos empréstimos pessoais e nas demais situações, foram limitados a 30% da remuneração bruta. O argumento do do governo é de evitar o endividamento excessivo do funcionalismo. Contudo, as novas normas têm provocado descontentamento em quem está com a margem negativada. Os servidores questionam que não podem aproveitar a ampliação do prazo de financiamento de 60 para 84 meses.

Também houve queixa de servidores que anteciparam a parcela do 13º salário e não conseguem fazer empréstimo. A Secretaria de Planejamento esclareceu que o empréstimo com desconto em folha e o crédito consignado especial para a quitação do 13º são duas modalidades diferentes. Portanto, as duas margens não podem se misturar.

FONTE: O DIA

Um comentário:

  1. Não podem mais foram misturada, porra já estamos na merda e mais essa agora , nem empréstimo podemos fazer com o nosso dinheiro ...já deu Pezão, vai pró caralho filho da puta viado velho!

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.