sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Pezão pode voltar atrás e desistir da extinção de fundações e autarquias

Em troca da aprovação de medidas ligadas à previdência estadual, governador pouparia alguns órgãos

Rio - Esperança para dirigentes e funcionários de fundações e autarquias ameaçadas de extinção pelo governo do estado. O Palácio Guanabara admite voltar atrás na medida para facilitar a aprovação de pontos que considera fundamentais no pacote batizado de Lei de Responsabilidade Fiscal do Estado.

Em troca da aprovação de medidas ligadas à previdência estadual — aumento de alíquotas e mudanças que afetam os poderes Judiciário e Legislativo —, Pezão pouparia órgãos como as fundações Santa Cabrini, Leão XIII e a dedicada à Infância e Adolescência (FIA).

São Pidão

Pezão voltou nesta quinta-feira a Brasília. Quer viabilizar um empréstimo de R$ 3,5 bilhões no Banco do Brasil para compensar a queda na arrecadação com os royalties de petróleo. Estados e municípios foram autorizados a fazer a operação.

Desvio de função

Mas o governo também poderia administrar melhor seus gastos. Relatório da prefeitura após a municipalização do hospital Rocha Faria, em Campo Grande, diz que por lá havia “número excessivo de profissionais, muitos deles desviados do atendimento público para outras funções, como assistência exclusiva aos servidores da própria unidade”.

Sem benefício

Condenado por pedofilia, o ex-corregedor do Corpo de Bombeiros Adilson Perinei, de 59 anos, perdeu o posto e a patente de coronel — o ato foi assinado por Pezão no Diário Oficial desta quinta-feira. Com isso, Perinei não terá mais direito à aposentadoria de R$ 16 mil mensais, a qual gozava há dois anos. Em 2010, ele foi preso em flagrante com uma menina de 13 anos num motel.

A luz do Sambódromo

A prefeitura terá que investir cerca de R$ 5 milhões em melhorias nas subestações de energia do Sambódromo. A determinação foi feita pelo Comitê Olímpico Internacional: o local receberá competições como tiro com arco e será palco da largada e da chegada da maratona. Atualmente é necessária a instalação de geradores em grandes eventos, como o Carnaval.

FONTE: O DIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.