sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

QUANTO VALE A ALIMENTAÇÃO DE UM MILITAR DO CBMERJ?




ATOS DO PODER EXECUTIVO - DOERJ DO PODER EXECUTIVO Nº 176, DE 21 DE SETEMBRO DE 2004 - PÁGINA 5 - TRANSCRIÇÃO DECRETO Nº 36.245, DE 20 DE SETEMBRO DE 2004. ALTERA O DECRETO Nº 21.533, DE 07 DE JULHO DE 1995, QUE FIXA OS VALORES DA ETAPA DE ALIMENTAÇÃO DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. 

A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais, de acordo com o dispositivo do Art. 58 da Lei nº 279, de 26 de novembro de 1979, com redação dada pela Lei nº 1575/89, e tendo em vista o contido no processo administrativo nº E-27/0353/1000/04, DECRETA: Art. 1º - Ficam alterados os valores das Etapas de Alimentação do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro, constantes do Anexo do Decreto nº 21.533, de 07 de julho de 1995, passando a vigorar, para custeio de ração, a seguinte Tabela: Tipo I II Valor 2,71 2,91 Art. 2º - As despesas decorrentes deste Decreto correrão a conta da dotação orçamentária própria. Art. 3º - Este decreto entrará em vigor na data de sua publicação. Rio de Janeiro, 20 de setembro de 2004. 

ROSINHA GAROTINHO

E O GESTOR AINDA TEM DE FAZER OBRA, MANUTENÇÃO, COMPRAR MATERIAL DE ESCRITÓRIO (500 REAIS NÃO É SUFICIENTE), UMA PEÇA OU OUTRA DE VIATURA, E ETC ETC ETC.

COM TUDO ISSO, AINDA TEM QUE DAR UMA REFEIÇÃO DIGNA PARA O MILITAR.

SEM CONTAR O QUE JÁ É DESCONTADO DO MILITAR!!!

CADÊ A ASSESSORIA PARLAMENTAR DO CBMERJ PRA INICIAR UM PROCEDIMENTO OU UMA PORTARIA QUE VENHA A MELHORAR ISSO AI????

3 comentários:

  1. À assessoria do CBMERJ com certeza recebe o seu "cala boca",para importunar o Chefe do executivo com essas "balelas". Então parem de sonhar,pois a referida assessoria é para questões de interesse deles************ ENTENDERAM

    ResponderExcluir
  2. Não sei no CBMERJ, mas na PMERJ essa conta não está sendo feita de maneira correta. Vejamos: O Decreto que fixa os valores das etapas tanto na polícia quanto nos bombeiros não diz que o item I de 2,71 é para SD e CB e que o item II de 2,91 é para Sgts e Oficiais. A Lei 279 que rege as duas corporações diz que o item I ( 6 refeições x 2,71 x 30) é para quem trabalha no serviço de 24hs e o item II ( 3 refeições x 2,91 x 30) para quem trabalha no expediente. Resta que a administração faz da seguinte forma: para SD e CB ( 2 refeições x 2,71 x 30 = 162,60 ) para SGTS e Oficiais ( 2 refeições x 2,91 x 30 = 174,60 ), isso é pago somente para quem é destacado. Como podemos ver isso é uma total descriminação, pois a Lei não faz alusão do SD ao Cel. Todos deveríamos ganhar de maneira igual. Prato cheio para o MP.

    ResponderExcluir
  3. Me desculpem pelo erro cometido, "discriminação"

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.