segunda-feira, 28 de março de 2016

Funcionalismo atento aos novos rumos políticos

Em um quadro de crise financeira que se agrava a cada semana, os servidores do Estado do Rio intensificam nos próximos dias as articulações para promover uma greve por tempo indeterminado a partir do dia 6 de abril. Diversas categorias vão se unir ao pessoal da Educação, das universidades estaduais e da Cecierj que já estão paralisadas. Na semana passada, o funcionalismo recebeu com revolta a informação de que o governo estadual ainda não tem recursos para honrar o pagamento dos salários e dos benefícios de março. E isso já considerando o novo calendário de pagamento, que prevê depósito até o 10º dia útil do mês.

Ainda sem saber como será o pagamento em abril, os servidores também estão atentos às mudanças políticas que estão por vir nos próximos dias com o afastamento do governador Luiz Fernando Pezão para tratamento de um câncer. O seu vice, Francisco Dornelles, assume hoje com a promessa de melhorar o convívio do Executivo com o Legislativo e com uma folha de pagamento de R$ 1,5 bilhão ainda sem solução.

A coluna procurou o Palácio Guanabara para saber como se daria a negociação com o funcionalismo a partir do afastamento de Pezão. Confira a resposta na íntegra: “O governo permanecerá dialogando com os servidores do estado de forma irrestrita e transparente, como sempre tem feito, buscando caminhos que permitam atravessar, com responsabilidade, a crise econômica brasileira. O governo reitera que compreende a manifestação de greve como um direito legítimo, desde que não cause prejuízos à população. Toda e qualquer pauta apresentada ao governo pelo funcionalismo será respeitosamente analisada. A rotina de interlocução do governo com servidores ativos e inativos e pensionistas seguirá de forma incondicional, partindo-se do princípio que o governo vem conduzindo com prioridade todas as pautas dos servidores, independentemente da categoria”.

FONTE: O DIA

2 comentários:

  1. Com a crise financeira instalada no estado e nós servidores sem perspectiva e o cbmerj insiste em onerar o erário com idas de militares do interior ao RJ para fazer confirmação de divisa,já que o militar cumpriu o tempo d'ele na função ainda tem mais essa via crúcis a peregrinar;gastanto desnecessariamente o que poderia usar com sua família. Eu sugiro ao cbmerj quando o militar completar o ciclo pra promoção fazer os exames de saúde de praxe em policlínicas que for próxima da unidade onde estiver lotado ou como lhe convir ao interessado. E todas as outras etapas sendo feito dentro do CBA pertencente ao militar.
    Mas o cbmerj é diferente, se um praça sugerir alguma coisa sendo esta até louvável não é aceita na maioria das vezes na cúpula pois foi praça que opinou.
    Cel Alcântara e cel Robadei, pensa direitinho sobre essa situação de confirmação de divisa do militar, nós que somos do interior é muito risco na estrada,gasto alto,estresse desnecessário etc. E sem contar que estará ajudando o cbmerj a economizar...mas se pensarem diferente entenderemos que os senhores não tem comprometimento com a instituição nesse quesito. E se acaterem agradeceremos pessoalmente aos senhores. Muito obrigado!

    ResponderExcluir
  2. Com a crise financeira instalada no estado e nós servidores sem perspectiva e o cbmerj insiste em onerar o erário com idas de militares do interior ao RJ para fazer confirmação de divisa,já que o militar cumpriu o tempo d'ele na função ainda tem mais essa via crúcis a peregrinar;gastanto desnecessariamente o que poderia usar com sua família. Eu sugiro ao cbmerj quando o militar completar o ciclo pra promoção fazer os exames de saúde de praxe em policlínicas que for próxima da unidade onde estiver lotado ou como lhe convir ao interessado. E todas as outras etapas sendo feito dentro do CBA pertencente ao militar.
    Mas o cbmerj é diferente, se um praça sugerir alguma coisa sendo esta até louvável não é aceita na maioria das vezes na cúpula pois foi praça que opinou.
    Cel Alcântara e cel Robadei, pensa direitinho sobre essa situação de confirmação de divisa do militar, nós que somos do interior é muito risco na estrada,gasto alto,estresse desnecessário etc. E sem contar que estará ajudando o cbmerj a economizar...mas se pensarem diferente entenderemos que os senhores não tem comprometimento com a instituição nesse quesito. E se acaterem agradeceremos pessoalmente aos senhores. Muito obrigado!

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.