quinta-feira, 7 de abril de 2016

Comandante-Geral se reúne com representantes de Polícias e Bombeiros de diversos Estados, na Câmara de Deputados Federais, para defender os direitos dos policiais militares

O Comandante-Geral da PMERJ, Cel Edison Duarte dos Santos Junior, esteve presente em audiência pública realizada nesta terça-feira (05/04), no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, em Brasília, onde policiais e bombeiros militares e representantes das entidades de classe pontuaram as negativas do Projeto de Lei 257/2016, em tramitação no plenário.


Os principais pontos de questionamentos da categoria foram as alterações da previdência, congelamento dos salários e aumento de efetivo.

O Deputado Federal Major Olimpio destacou que a audiência pública é importante para demostrar aos demais parlamentares a mobilização da categoria. “A mobilização une oficiais e praças para que não haja prejuízo para os servidores”.


O comandante do 48º Batalhão de Polícia Militar de Minas Gerais, Tenente Coronel Hércules de Paula Freitas, ressaltou a importância da participação de Policiais e Bombeiros Militares de todo o país. “A tentativa de aprovação deste projeto é prejudicial ao direito dos militares. Neste momento temos a necessidade de sermos ouvidos”.

Comandante-Geral da PMMG e Presidente do Conselho Nacional de Comandantes Gerais (CNCG), Coronel Marco Antônio Badaró Bianchini, reforçou que é preciso que os parlamentares se sensibilizem com as questões dos policiais estaduais de todo o país. “Não podemos deixar que o direito adquirido pela categoria seja perdido. Os comandos estão juntos com os seus militares para barrar este projeto, e que nossa união seja permanente”.

O Presidente da Associação dos Oficiais da Polícia Militar e Bombeiros Militares de Minas Gerais (AOPMBM), Tenente Coronel Ailton Cirilo da Silva, afirma que a mobilização marca a história das PPMM e CBM. “Pela primeira vez os militares estaduais estão engajados para sensibilizar os parlamentares a respeito da retirada desse projeto que compromete de forma direta os benefícios da categoria”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.