quarta-feira, 11 de maio de 2016

Estado vai pagar salários integrais de abril de todos os servidores nesta sexta-feira


MUSPE EM REUNIÃO HOJE NA SECRETARIA DE FAZENDA

O governo do estado vai anunciar nas próximas horas que realizará o pagamento de abril de todos os mais de 460 mil servidores, entre ativos, aposentados e pensionistas, sem atrasos ou parcelamentos. O valor a ser repassado gira em torno de R$ 1,6 bilhão e será depositado na próxima sexta-feira, 10º dia útil do mês seguinte ao trabalhado, e data marcada para o pagamento.

Uma reunião na Secretaria de Fazenda encaminhou a decisão. Os dados para pagamento já foram enviados à Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão. Secretários de governo estão no Palácio Guanabara para reunião com o governador em exercício, Francisco Dornelles, para consolidarem o anúncio do pagamento.

O Estado cumpre, por hora, a promessa de não atrasar os salários dos servidores públicos. Nas últimas semanas, o governador em exercício, Francisco Dornelles, havia afirmado a intenção do governo de antecipar esse pagamento para o dia 10. Isso não acontece, mas os depósitos serão feitos na data estipulada pelo calendário.

Em função da crise, secretários afirmaram nas últimas semanas que o pagamento não estava garantido. A secretária de planejamento, Cláudia Uchôa, afirmou a servidores que somente arrestos bancarios ajudariam na tarefa de pagar a folha de abril.

As dificuldades financeiras do Estado começaram no fim de 2015. Os salários de novembro, por exemplo, foram parcelados. Em um primeiro momento, todos os servidores receberam R$ 2 mil, enquanto o restante foi pago durante o mês de dezembro.

Os salários de janeiro já foram pagos no 5º dia útil do mês seguinte ao trabalhado. A decisão de postergar a data deu condições ao governo de quitar o pagamento integralmente. Em fevereiro, porém, isso não foi possível. O governo atrasou em dois dias o depósito de todos os salários. Para piorar, um decreto postergou os pagamento nos meses seguintes para até o 10º dia útil do mês seguinte ao trabalhado.

Mas o pior ainda estava por vir. Os salários de março viraram novela em função da negativa federal de bancar um empréstimo de R$ 1 bilhão para ajudar com as contas do Rioprevidência. O resultado foi a decisão de não pagar 137 mil aposentados e pensionistas que recebem mais de R$ 2 mil líquidos. A ideia do governo era pagar os ex-funcionários apenas no dia 12 de maio, mas um arresto judicial tirou das contas públicas R$ 648 milhões e repassou o valor aos servidores.

FONTE: EXTRA

4 comentários:

  1. Para olimpíadas tem dinheiro , sugiro que quando a tocha olímpica chegar no Rio de Janeiro todo o povo fique com um balde cheio d'agua e jogue na tocha como prova de revolta.

    ResponderExcluir
  2. SOLICITO AO REPRSENTANTe Do S.O.S no MUSPE que aborde com o movimento a iminente redução de salários analisada pelo governo. O MUSPE não vai colocar em pauta nas reuniões esse assunto? vai esperar acontecer?
    Antes que reduzam os vencimentos mensais dos servidores, que sejam reduzidas tanto o valor quanto o número gratificações concedidas ( cargos comissionados, DAS e etc) e demissão de servidores não concursados. Agora diminuir linearmente o salário de todos é muito injusto e imoral. Imaginem vocês pessoas que trabalham tanto quanto os que ganham tais gratificações e não tem essas boquinhas terem seus salários reduzidos em 30%?
    Irão esperar acontecer?
    Para equilibrar suas contas, o governo estadual tenta encontrar uma brecha que permita reduzir salários e carga horária de servidores efetivos. A aplicação da medida, prevista pela Lei de Responsabilidade Fiscal, havia sido suspensa por uma liminar concedida pelo Supremo Tribunal Federal.

    Na avaliação do governo, a redução salarial seria preferível à demissão de servidores, autorizada pela Constituição em caso de desrespeito aos limites de comprometimento de receitas com pagamento de pessoal.

    Mais atingidos
    Ocupantes de cargos em comissão serão os mais atingidos pelos cortes. Haverá demissões e reduções de salários para que o governo elimine de 20% a 30% das despesas.

    fonte jornal ODIA

    ResponderExcluir
  3. E Ainda lembrando o representante do SOS no MUSPE os praças só tem estabilidade com dez anos de serviço, imaginem quantos servidores da corporação poderão ser demitidos se o governo não cortar as boquinhas dos DAS e cabides de empregos dos comissionados sem concurso.

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.