sábado, 28 de maio de 2016

Primeira parcela do 13º da União sai na folha de junho Situação dos servidores do estado é incerta

Rio - Os mais de 1,3 milhão de servidores federais vão receber metade do décimo terceiro junto com o salário do mês que vem. O Ministério do Planejamento confirmou ontem à coluna o calendário de pagamento antecipado de 50% da gratificação natalina na folha de junho. O crédito da primeira parcela será feito no mesmo dia em que os salários de junho entram nas contas em 1º e 4 de julho. Serão beneficiados servidores ativos, aposentados e pensionistas da União.

Como em anos anteriores, a primeira parte do décimo terceiro virá sem descontos legais. Os abatimentos serão feitos quando a União pagar a segunda parcela. Pelo calendário, a segunda parte sairá juntamente com a folha do mês de novembro, com crédito em dezembro.

Os 164 mil servidores municipais do Rio ainda não têm previsão de quando a prefeitura vai liberar a primeira parcela do 13º deste ano. Questionada pela coluna, a Secretaria Municipal de Administração informou que a decisão de antecipar cabe ao prefeito Eduardo Paes. O martelo sobre a data não foi batido.

No ano passado, o pagamento foi em 14 de julho. O custo da folha ficou em R$ 183 milhões. Ao todo receberam antecipado 92 mil ativos e 72 mil inativos e pensionistas. A segunda parte do 13º normalmente é paga na primeira quinzena de dezembro.

Estado sem previsão
Já a situação dos 468 mil servidores estaduais, entre ativos, aposentados e pensionistas, é de total incerteza devido à crise financeira que o estado vive. O governo do estado não tem previsão se vai antecipar a primeira parcela da gratificação natalina. A prioridade é pagar o salário deste mês, cujos recursos suficiente ainda não entraram nos cofres.

Pagamento parcelado
Por conta da crise, os servidores do estado receberam a segunda parcela do 13º do ano passado foi paga em cinco vezes. O crédito ocorreu entre dezembro de 2015 e abril deste ano. O governo chegou a publicar decreto em dezembro permitindo que os servidores fizessem empréstimo bancário no valor correspondente ao 13º salário não pago.

FONTE: O DIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.