quarta-feira, 18 de maio de 2016

Servidores do Estado sofrem com cobrança dupla sobre empréstimos consignados


Logo no mês em que o Estado do Rio cumpriu o calendário de pagamento no 10º dia útil, alguns servidores enfrentam outra dor de cabeça. Funcionários entraram em contato com a coluna e reclamaram da cobrança duplicada de parcelas mensais de empréstimos consignados. Eles tiveram descontadas as prestações em seus contracheques e, além disso, foram debitados pelos bancos onde têm contas-salário.

A coluna procurou o governo para saber se realmente havia o problema. A Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) explicou que realmente podem acontecer cobranças duplicadas. O problema é que depende do servidor a retificação da cobrança extra.

“Nesse caso, o servidor deve comparecer ao banco e solicitar, por escrito, o imediato ressarcimento da parcela descontada”, afirmou a Seplag em nota.

Caso os servidores não sejam estornados da cobrança indevida, o jeito será formalizar uma ocorrência na unidade de recursos humanos de onde está matriculado e seguir diversos passos previstos pela Lei 45.653.

A Associação Brasileira dos Bancos (ABBC) disse que, atém ontem, não houve qualquer alteração sobre o atraso do repasse, por parte do Estado do Rio, dos valores dos consignados. Não custa lembrar que, em abril, a ABBC revelou que a dívida do Rio com o banco era de R$ 1,5 bilhão. A associação aguarda uma reunião com o secretário de Fazenda para tratar da situação.

FONTE: EXTRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.