quarta-feira, 22 de junho de 2016

CARTA ABERTA À POPULAÇÃO

O Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais (Muspe) denuncia: 

Em 2016, o Governo do Estado do Rio de Janeiro vai deixar de arrecadar 40 bilhões de reais, em decorrência das isenções fiscais concedidas à empresas, e precisa de 20 bilhões de reais para cumprir com as suas obrigações financeiras. 

Ainda assim, o Estado não tomou a iniciativa de suspender temporariamente as isenções ou aumentar as alíquotas do baixo ICMS cobrado. Em vez disso, declarou estado de Calamidade Pública. A iniciativa do governador Francisco Dornelles foi paradoxal. 

A intenção do decreto foi, exclusivamente, garantir os jogos olímpicos, quando a prioridade deveria ser salários pagos em dia, assistência à saúde, ensino escolar de qualidade, entre outras. Você sabe para onde vai o empréstimo de 3 bilhões de reais que o Governo do Estado do Rio vai receber? Vai garantir a segurança nas Olimpíadas 2016. 

O Muspe lamenta a falta de estrutura do serviço público para prestar um bom serviço à população. Estamos na rua para exigir que o servidor seja renumerado (em dia) pelo trabalho realizado - coisa que o Rio não faz com regularidade desde o final de 2015. 

Afinal, o retorno pelos altos impostos pagos pelo cidadão vem através do serviço público. Onde está o nosso dinheiro? Os servidores não têm nenhuma responsabilidade sobre a crise. 

Ajude-nos a obter o IMPEACHMENT da dupla DORNELLES/PEZÃO e a cobrar do Poder Judiciário a defesa dos servidores públicos e da população!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.