terça-feira, 21 de junho de 2016

Dornelles e BNDES acertam empréstimo de R$ 3 bi para Jogos

Os 393 mil servidores do Estado ainda não sabem quando vão receber a outra metade do salário de maio, mas a segurança durante a Rio-2016 e a operação parcial da Linha 4 do metrô está garantida, disse o governador em exercício, Francisco Dornelles. A liberação da verba ao Estado, que está inadimplente com a União e deve a instituições financeiras estrangeiras, só foi possível após a decretação do estado de calamidade pública na última sexta-feira. Dornelles pediu R$ 6 bilhões, mas a União só deve liberar a metade. Desse montante, cerca de R$ 500 milhões seriam destinados para concluir o metrô.

"Esse aporte não é para o Rio, é para a Olimpíada. É um compromisso com o governo federal. Vamos investir no metrô e na segurança. Precisamos de mais gente na rua, de policiamento ostensivo. Nós temos que ter reforço durante os Jogos. Não é para pagar servidores", admitiu o governador em exercício ao jornal "O Globo".

Ontem, secretário-executivo do Programa de Parceria em Investimentos, Moreira Franco, defendeu o repasse e ressaltou a importância dos Jogos. "Não podemos pagar um mico internacional."

A verba também será usada no pagamento dos quatro meses de atraso do RAS (Regime Adicional de Segurança), programa que paga horas extras a policiais que trabalham em períodos de folga.

Na última terça-feira, o governo pagou pouco mais da metade dos salários de 393 mil servidores.

A Secretaria de Fazenda admitiu não haver ainda data certa para o depósito. O total que resta para quitar a folha de maio é de R$ 468 milhões.