terça-feira, 30 de agosto de 2016

Câmara conclui votação de renegociação da dívida dos estados

BRASÍLIA - O governo federal conseguiu concluir, na Câmara, a votação do projeto que renegocia as dívidas dos estados com a União, 20 dias depois de os deputados aprovaram o texto-base da proposta. Os deputados rejeitaram na noite desta terça-feira os três destaques que ainda precisam ser analisados, que visavam a alterar o texto. O projeto segue agora para o Senado.

O projeto alonga os débitos dos estados com a União por 20 anos, com uma carência de seis meses e é uma das prioridades do governo. Ele foi alvo de intensa negociação entre a área econômica e os parlamentares e marcado por recuos do governo nas contrapartidas exigidas aos estados para a negociação dos débitos. A única compensação mantida no projeto negociado com os governadores é a limitação do crescimento das despesas dos estados à inflação do ano anterior.

Para conseguir aprovar o texto, o governo teve que recuar em outra contrapartida que havia sido negociada com os governadores. O governo retirou o item que proibia os estados de concederem reajustes para servidores públicos durante dois anos. Essa proibição gerou intensa pressão dos sindicatos e resistência de vários deputados, que apresentaram emendas na tentativa de retirar o item do texto.

A votação dos destaques durou quase cinco horas, diante da obstrução da oposição, liderada pelo PT, PSOL, Rede e PCdoB. Dois dos destaques rejeitados faziam alterações terminológicas no texto. O terceiro condicionava o cumprimento das condicionalidades a ampliação do Fundo de Participação dos Estados.

FONTE: EXTRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.