quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Justiça bloqueia R$ 362 milhões do governo do Rio para pagar a servidores do Estado



Após uma maratona durante o dia, a Justiça conseguiu arrestar R$ 362 milhões das contas do governo do estado nos bancos Bradesco e Banco do Brasil (BB). O valor foi obtido após decisão desta segunda-feira, a juíza Priscila Fernandes Miranda Botelho, responsável pelo plantão judiciário no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ). Ela determinou que fosse feito o arresto imediato de R$ 604 milhões das contas do governo do Estado. A liminar foi concedida na ação movida pela Federação das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos do Estado do Rio (Fasp) .

A secretaria de Fazenda confirmou que R$ 362 milhões foram arrestados e que esse valor é o que falta a ser pago aos servidores. Resta saber, agora, se haverá tempo para que o restante dos servidores receba seus salários ainda nesta terça-feira. O advogado da Fasp, Carlos Henrique Jund, informou que a Secretaria de Planejamento precisa repassar os dados de quem não recebeu para que a operação seja feita.

Segundo a Fazenda estadual, os valores dizem respeito a verbas carimbadas, com destinação definida ao entrarem nos cofres do Estado, como, por exemplo, operações de crédito. O governo não informou, porém, a destinação dessas verbas.

A secretaria informou, também, que hoje mais uma parte do funcionalismo foi paga. Ao todo, 81,1% da folha já foi quitada, com R$ 1,6 bilhão já repassados aos servidores. O problema, porém, é que aposentados e pensionistas foram os escolhidos a ficarem no fim da fila no recebimento dos salários de julho.

FONTE: EXTRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.