domingo, 14 de agosto de 2016

Veto a novos empréstimos consignados a servidores do Estado do Rio está mantido


Bancos informaram que falta de acordo com o governo impede definição de prazo para voltarem a oferecer consignados 

A falta de entendimento entre os bancos e o governo estadual para que as instituições financeiras, em sua maioria de médio e pequeno porte, voltem a oferecer novos contratos de empréstimos consignados (com desconto em folha) aos servidores gerou um impasse difícil de resolver. Desde abril, o Rio vem atrasando os repasses ou, simplesmente, deixando de transferir os valores descontados dos contracheques dos funcionários públicos, referentes a parcelas de contratos de consignados concedidos. Por isso, novas transações foram suspensas há cerca de um mês, sem previsão de serem retomadas.

De acordo com a Associação Brasileira de Bancos (ABBC), durante uma reunião em junho, com o então secretário de Fazenda, Júlio Bueno, ficou estabelecido que o Estado do Rio faria o repasse regular dos recursos até o fim do ano, e que a dívida acumulada em abril e maio seria honrada em cinco parcelas. Em julho, porém, ocorreu um novo atraso, e as prestações atrasadas não foram pagas.

O EXTRA procurou os bancos citados pela ABBC (veja abaixo) para confirmar se os vetos às novas operações estavam mantidos. O jornal ligou para uma agência de cada banco, e todas informaram que os consignados estão suspensos. A informações foi que o veto se deve à crise financeira do Rio e o medo de mais calotes por parte do governo. Apenas o Intermedium confirmou, oficialmente, o impedimento e reforçou que os repasses continuam atrasados. As outras instituições preferiram não comentar a situação abertamente.


Uma nova reunião entre a ABBC e a Secretaria estadual de Fazenda está agendada para o dia 25 de agosto, já com a presença do novo secretário de Fazenda, Gustavo Barbosa. Dos grandes bancos do país, o Bradesco e o Banco do Brasil declararam que as operações continua regulares. A Caixa Econômica Federal, o Itaú e o Santander não informaram a situação dos consignados para os servidores estaduais.

Governo do Rio culpa arrestos por dívida com instituições

O governo estadual reconhece a dívida com as instituições bancárias. A desculpa está nos seguidos arrestos feitos nas contas públicas. Segundo a Secretaria de Fazenda, as retiradas autorizadas pela Justiça totalizam R$ 790 milhões, desde o início do ano. A pasta garante que as parcelas devidas já estão sendo pagas, referentes a março e abril. O governo do Rio, porém, não comentou a decisão dos bancos de restringir os empréstimos com desconto em folha. No início de 2016, o limite de comprometimento da renda com consignados baixou de 40% para 30%. A medida deixou muitos servidores impedidos de fazerem novas transações.

FONTE: EXTRA

3 comentários:

  1. GRAÇAS A DEUS QUE ISSO NÃO VOLTE MAIS PARA QUE NÃO VIREMOS ESCRAVOS DESSES BANQUEIROS. TEM DE LIBERAR EMPRÉSTIMOS PARA QUE PAGA ALUGUEL,QUERO VER O BANCO PAGAR UM IMÓVEL COMA MESMA FACILIDADES QUE AFUNDA OS SERVIDORES EM DIVIDAS E SEM SALÁRIOS POR CONTA DESSES MALDITOS EMPRESTIMOS

    ResponderExcluir
  2. NÃO ESTÃO REPASSANDO MAS,ESTÃO DESCONTANDO.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.