quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Servidores ganham alívio com pagamento de agosto, e Fasp promete lutar por salários ‘enquanto crise durar’


Mesmo com agosto pago, preocupação segue para próximos meses

Nesta quarta-feira, por meio da Justiça, o restante dos 460 mil servidores do Estado do Rio — entre ativos, inativos e pensionistas — receberá seus salários de agosto. A novela que envolveu o pagamento terminou nesta terça-feira, após a Secretaria de Fazenda liberar R$ 274 milhões, dinheiro que entrou no caixa por meio de tributos, para o pagamento dos 15% que restavam a ser quitados. O valor total da folha é de R$ 2 bilhões.

Inativos e pensionistas — maioria dos que ficaram sem salários — já começaram a receber. Quem recebe por outro banco que não seja o Bradesco, receberá hoje, segundo a Federação das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos do Estado do Rio (Fasp).
PUBLICIDADE


Além do valor liberado pelo governo do Rio, foram utilizados pouco mais de R$ 11 milhões dos R$ 51 milhões que foram arrestados pela Justiça. Com isso, o valor total utilizado para pagar os funcionários foi de R$ 285 milhões. O dinheiro que sobrou do arresto (R$ 40 milhões) será devolvido aos cofres públicos.

Demora do Judiciário e contas zeradas dificultaram

Durante o pagamento, os servidores questionaram a demora do Judiciário em julgar o assunto, mesmo com a determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) de que o pagamento fosse feito até o 3º dia útil e diante das contas zeradas do governo. O arresto do dinheiro para pagar os servidores só foi feito no 5º dia, após o expediente bancário. Para piorar, dos R$ 471 milhões que faltavam para o pagamento, apenas R$ 50 milhões foram encontrados nas contas. No fim, a folha será quitada no 9º dia útil.

Fasp diz que vai continuar a cobrar ordem do STF

Segundo o advogado da Fasp, Carlos Henrique Jund, os salários de setembro terão que ser pagos até o 3º dia útil de outubro: “Vamos garantir que a ordem do Supremo seja cumprida enquanto essa crise durar. Caso o governo não cumpra, vamos cobrar novos arrestos”, disse ele. Até o momento, não há previsão para o julgamento do recurso do Estado.

FONTE: EXTRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.