sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Para o MPRJ, isenções fiscais são a causa do caos financeiro no Estado do Rio


Isenções serão investigadas pela Justiça 

A política de conceder isenções fiscais a empresas e produtos para atrair investimentos é, segundo o Ministério Público (MP) estadual, o fator chave para a crise vivida pelo Estado do Rio. Ontem, o promotor Vinícius Leal Cavallero detalhou a ação civil pública do órgão contra o governo. Para ele, o caos instalado tem um culpado.

— Hoje, pelo que vimos ao analisarmos os dados a respeito das isenções (já concedidas), é certo afirmar que a política de benefícios fiscais é a causadora da crise no Rio de Janeiro. Se o governo do estado não tem condições de pagar seus servidores, colocar remédio nos hospitais ou dar segurança de qualidade, a culpa é da isenções — cravou o promotor.

A ação civil pública assinada por Vinícius e por outros três promotores foi aceita pelo Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ). A partir de agora, o governo terá 60 dias para enviar todos os dados a respeito das isenções. Com esses números em mãos, o MP vai identificar equívocos.

— Na nossa visão, não são poucas as irregularidades. Há diferenças sobre números fornecidos pelas empresas e pelo próprio governo. Além disso, há áreas que ganharam benefícios altamente questionáveis — disse Vinícius.

O promotor aproveitou para apontar algumas das suspeitas de irregularidade.

— O preceito para se conceder um benefício são os retornos social e econômico. Quando se oferece uma isenção a termas, por exemplo, é algo a ser questionado — lembrou o promotor, ao se referir às termas Montecarlo e Solarium.

O governo do estado divulgou uma posição em que defendeu a política de isenções fiscais por “descentralizar e diversificar a economia do estado, além da geração de emprego e renda”. Ainda segundo o governo, entre 2010 e 2015, as isenções foram de R$ 33,2 bilhões. O Estado do Rio vai recorrer da decisão.

FONTE: EXTRA

Um comentário:

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.