domingo, 13 de novembro de 2016

Após pedidos de Pezão, EXTRA apresenta 10 sugestões para o Estado sair da crise


O governador Luiz Fernando Pezão havia pedido sugestões, na semana passada, para tirar o Rio da crise 

Diante dos pedidos de ajuda feitos pelo governador Luiz Fernando Pezão para tirar o Rio da crise, o EXTRA reuniu dez sugestões de órgãos, deputados e especialistas em administração pública, diferentes das medidas contidas no pacote de ajuste fiscal levado pelo governo à Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). As propostas, se trabalhadas corretamente, poderiam resultar em aumento de receitas ou diminuição de despesas (confira abaixo), segundo seus autores.

— Os assuntos que apresentam alternativas ao Rio precisam ser prioridade número um para o governo. Essas alternativas aliadas podem ajudar na recuperação econômica — disse Istvan Kasznar, economista e professor da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Os pedidos de Pezão foram feitos após ele mesmo anunciar o pacote de medidas composto inicialmente por 22 projetos de lei e seis decretos. O governador tem dito que, diante da grave crise, fez as propostas que entende como necessárias para a solução do caos financeiro. O problema é que, hoje, o governo não tem um plano B, caso as ideias não sejam aprovadas pela Alerj. Pezão alertou para a falta de opções após os deputados estaduais vetarem a discussão de uma cota extra de contribuição à Previdência para os servidores.

— Não temos plano B. As pessoas têm que contribuir para ter esse direito adquirido (à aposentadoria). O Tesouro Estadual não tem recursos para bancar isso — disse.

Pezão deverá receber mais sugestões a partir desta semana. No dia 16, começarão as discussões dos 21 projetos restantes pela Alerj. Mas as medidas, porém, são criticadas.

— A extinção de fundações e o corte de secretarias parecem corte de vento, pois não se falou em redução do número de servidores, que serão remanejados para outros órgãos — alertou a especialista em administração pública Selene Nunes.






FONTE: EXTRA

5 comentários:

  1. Aí vocês querem q ele deixe seus padrinhos na mão!
    Ele quer é empurrar no servidor pra pagar essa conta. E o pior é q teve milhares de servidor q votou nesse ladrão, não satisfeito de tomar na gestão do Cabral votaram em seu vice achando q ia ser diferente. Tá de sacanagem!!! Agora é isso aí, da próxima vê se aprender a votar !!!
    Deixaram de votar no Garotinho e seu vice-governador o Major BM Marcio Garcia, perderam uma oportunidade de ouro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Servidor pagar a conta???
      Quem vai pagar a conta é a população.
      O dever primordial do servidor é defender o patrimônio público.
      Onde estavam os servidores de carreira (principalmente os da Sec de Fazenda) que veem todas as maracutaias e armações de políticos e servidores corruptos e se calam????
      Os políticos mudam, mas os servidores são os mesmos. Se o servidor exercesse seu papel fiscalizador, nada disso estaria acontecendo. O problema é que muitos se locupletam junto com os políticos e outros se calam para não ter trabalho.

      Excluir
  2. Sei que minha opinião vai deixar muitos Bombeiros p.... comigo, mas outra solução seria, a volta de todos os Bombeiros Militares que prestam serviços em outros órgãos (EXTERNOS) regressassem ao CBMERJ, acho que o retorno de todos, ajudariam nas fileiras da Corporação que está extinta de Bombeiros e financeiramente reforçaria os cofres públicos com a verba extra por estarem adidos.

    ResponderExcluir
  3. CABRAL DEVE ESTAR MORRENDO DE RIR DO PEZÂO PELA MERDA QUE DEIXOU PARA ELE. PEZÂO PEDE CONSELHO PRA ELE ANTES QUE A FEDERAL O PEGUE.
    ESAMOS JUNTOS

    ResponderExcluir
  4. Concordo com Vsa excelência,
    Vou mais longe, sei também q alguns
    Podem ficar chateados comigo também,
    Mas a verdade dói, assim como o melhor
    Remédio é amargo.
    Sugiro a todos os bombeiros da RR q estão no tempo certo q dêem suas vagas
    Aos desempregados, nós temos salários, eles não tem, reflita!.

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.