segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Chefes do Judiciário estadual fazem manifesto contra o governo do Rio: ‘Quer subjugar os poderes’


Governo do Rio é criticado 


O presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio (TJ-RJ), desembargador Luiz Fernando Ribeiro de Carvalho, e o chefe do Ministério Público estadual (MP-RJ), o procurador-geral de Justiça Marfan Vieira, apresentaram pronunciamento conjunto, em sessão do Órgão Especial do TJ-RJ. Ambos foram duros ao comentarem as ações do governador Luiz Fernando Pezao para estancar a crise financeira.

— O governo deveria, desde o ano passado, ter feito o seu dever de casa. Mas, o que assistimos nesse período, foi um gasto desnecessário com propaganda, isenções fiscais, cargos comissionados e obras olímpicas questionáveis. O Executivo quer subjugar os poderes — atacou Ribeiro de Carvalho.

Já Marfan Vieira foi direto e anunciou que encontrou um série de inconstitucionalidades sobre as propostas do Executivo.

— Vamos levar as proposições que encontramos a Assembleia Legislativa do Estado. Mostrar aos deputados que existem graves erros nas propostas. Caso os textos sejam aprovados, vamos questionar o que for possível na Justica, seja em âmbito estadual ou em âmbito federal - disse Vieira.

Luiz Fernando Ribeiro de Carvalho criticou, principalmente, as propostas que alteram o repasse do duodécimo e a modificação da utilização dos fundos especiais dos poderes.

— O Executivo pretende, com essas propostas, matar o Judiciário. Causará o colapso financeiro do Judiciário estadual. Podemos ver o fechamento de varas e comarcas - criticou.

FONTE: EXTRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.