quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Servidores do Estado do Rio sem pagamento acumulam dívidas


Com dívidas, Fernanda precisou recorrer ao cheque especial 

O plano de saúde foi cancelado por dificuldades de pagamento, a mensalidade da escola do filho está atrasada, e a alternativa para a servidora Fernanda Novaes, de 49 anos, foi entrar no cheque especial, deixando a conta-corrente no vermelho. Funcionária da Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro (Cecierj), ela tinha todas as contas em dia até que o governo do estado começou a atrasar o pagamento dos vencimentos, e alterar as datas de depósito para o funcionalismo. Além da falta de esperança de receber o 13º salário, a incerteza compromete os compromissos no início do ano. Ela está preocupada com a renovação de matrícula do filho de 17 anos, no começou de 2017.

— Vou tentar explicar para eles (direção da escola) que sou servidora do estado, e que não estamos recebendo nossos salários em dia. Não temos auxílios transporte e alimentação. E, sem receber, praticamente pagamos para trabalhar — explicou.

Ao lado dela, outros funcionários do Cecierj , que ainda estão em estágio probatório e participaram da manifestação de ontem, em frente à Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), relataram a apreensão sobre a possibilidade de serem dispensados pelo governo.

Sem pagamento, banco cancela crédito


Eunice teve desconto no contracheque, mas governo não pagou Foto: Fotos de Pollyanna Brêtas



São 26 anos dedicados à Saúde, e a funcionária da Vigilância Sanitária Eunice Barbosa, de 52 anos, lembra de outras crises no estado, mas nenhuma que tenha comprometido as necessidades essenciais de sua família. Para não deixar de pagar as contas básicas, ela não escapou de uma dívida de 60 meses, no empréstimo consignado. Eunice também recorreu à opção de retirar dinheiro por meio de um cartão de crédito com desconto em folha. O problema é que o governo do estado fez descontos de até 10% em seu pagamento, mas o dinheiro não foi repassado ao banco, que cancelou sua conta.

— Não vou conseguir sequer participar da confraternização de Natal da minha família. A conta está no vermelho. Não tenho dinheiro para o mínimo. Nós, servidores de 40 horas (da Saúde), não estamos recebendo o adicional quando ultrapassamos esse limite. O dinheiro vêm da União. Por isso, desconfiamos de que o estado também não está repassando isso.

FONTE: EXTRA

5 comentários:

  1. Sabe a diferença entre Pezão e mister M?
    Mister M sempre devolve a coisa que desaparece, o Pezão não.
    Cadê o dinheiro do Estado?

    Pezão comeu!

    ResponderExcluir
  2. José Fernandes Lima10 de novembro de 2016 17:20

    Meu nome é José Fernandes Lima tenho 77 anos, uma esposa com Parkinson
    Alzaimer usa Fraldas sou inativo da PM, sou um entre, milhares de inativos, pensionistas, e muitos outros do povo do Rio de Janeiro que estamos sofrendo pela incompetência, e corrupção dos governantes do RJ.
    Coloco anexo o que foi publicado no Blog do Garotinho,ex governador do RJ As Associações de Oficiais e Praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Mil
    Mas leiam a carta aberta à população, divulgada pelas associações de oficiais e praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros.

    "As Associações de Oficiais e Praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar abaixo nominadas, por meio desta Carta Aberta, vêm a público mostrar a sua perplexidade e insatisfação, manifestando-se de acordo com o que segue:
    Grave momento vive o Estado do Rio de Janeiro, e, em especial, a segurança pública. O Governo não possui limites. Desta vez, condenou à morte nossas viúvas, órfãos, cadeirantes... O que quer? O que almeja? Senhores, assim como “A farda não abafa o cidadão no peito do Soldado”, como bem disse o Marechal Osório, “O estômago é o órgão do corpo que mais tem pressa”, magnanimamente também o disse o Brigadeiro Castrioto, por ocasião da interpelação ao Governador da época, quando fora cortada a verba relativa à Caixa das Viúvas e Órfãos ( CVO), da PM do antigo Estado do Rio de Janeiro.
    Atenção elite, cuidado! Tropa com fome resmunga, em algumas situações marcha no mesmo lugar, mas continua cumprindo sua missão, comendo calango, tapuru, bebendo água de chuva... Mas, cadeirantes, esposas, viúvas, filhas e filhos, órfãos, com fome podem fazer a Tropa transformar-se em bando. E, bando não tem hierarquia, não tem disciplina, não tem temor reverencial! Na vida, tudo tem limite, só que o limite e a postura do bando, são completamente diferentes do limite e da postura da Tropa. O bando formado por homens e mulheres treinados, experientes, decepcionados, indignados, desesperados. E, em Armas!
    Sinalizamos que essa crise é sazonal e tem solução. Dentre outras ações, sugerimos a constituição de uma Força-Tarefa para combater a sonegação fiscal, suspender as renúncias fiscais e aumentar a arrecadação, a exemplo do que fez o Estado de Goiás, com total sucesso."

    A situação é grave e dramática.

    ResponderExcluir
  3. O que esse governador de merda que arrumar com os servidores!? Presta atenção seu ladrão " o homem mais perigoso é aquele que não tem mais nada a perder", palavras de Voltaire!! Nós somos milhares que não temos mais nada a perder, só falta a dignidade, aí será a gota d'água, e essa corja não vai segurar o bloco dos desesperados! Tentem a sorte!

    ResponderExcluir
  4. O que esse governador de merda que arrumar com os servidores!? Presta atenção seu ladrão " o homem mais perigoso é aquele que não tem mais nada a perder", palavras de Voltaire!! Nós somos milhares que não temos mais nada a perder, só falta a dignidade, aí será a gota d'água, e essa corja não vai segurar o bloco dos desesperados! Tentem a sorte!

    ResponderExcluir
  5. O que esse governador de merda que arrumar com os servidores!? Presta atenção seu ladrão " o homem mais perigoso é aquele que não tem mais nada a perder", palavras de Voltaire!! Nós somos milhares que não temos mais nada a perder, só falta a dignidade, aí será a gota d'água, e essa corja não vai segurar o bloco dos desesperados! Tentem a sorte!

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.