quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

GOVERNO NÃO GARANTE PROPOSTA RIDÍCULA DOS COMANDANTES


‘Temo pelo que pode acontecer em 2017’, diz Roberto Sá em reunião com deputados


Secretário falou durante reunião

Nesta terça-feira, durante uma reunião entre deputados e funcionários públicos, na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), o secretário de Segurança Pública, Roberto Sá, falou sobre o projeto que pretende adiar os reajustes das categorias ligadas à pasta para 2020.

“O servidor sabendo que o aumento que só sairia em 2020 vai acontecer em 2017, que o triênio está mantido, sai de um cenário muito antagônico, a um avanço razoável e consistente. Não acontecendo isso, temo pelo que pode acontecer no ano que vem pela vida de todos nós. Em termos de estabilidade pública, de estabilidade financeira. Pedir aos presentes que reflitam muito pelo que a gente pode decidir aqui. Se podemos enxergar um avanço com perdas pequenas, mas necessárias. Mas que a gente resolva esse impasse para que a gente possa viver a difícil rotina do estado do Rio de Janeiro”, disse Roberto Sá.

O Secretário fez referência a proposta elaborada pelo comandante da Polícia Militar, pelo chefe da Polícia Civil, pelo comandante geral do Corpo de Bombeiros e pelo secretário de Administração Penitenciária. Na proposta, os servidores da Segurança terão reajustes em dezembro pelos próximos três anos (os reajustes e incorporações estavam programados para janeiro), manterão seus triênios, terão salários em dia (até o 10º dia útil) e receberão o 13º salário no dia 20 de janeiro.

Durante a reunião, o secretário de Fazenda, Gustavo Barbosa não garantiu que a proposta será cumprida pelo governo. Os deputados pediram que o governador Luiz Fernando Pezão apresente, até quinta-feira, documento referendando a proposta dos chefes da Segurança Pública.

FONTE: EXTRA

8 comentários:

  1. Essa proposta indecente, é de quem não tá nem ai para os seus comandados,eles querem e que não haja mobilização no fim do ano e assim continuam no cargo,com seus altos salários.

    ResponderExcluir
  2. Ele não tem moral para falar de perda.
    Ele não vai perder nada, pois é delegado da Polícia Federal.
    Ele deveria estar na verdade investigando o atual governo e ALERJ, mas prefere ficar mamando nas tetas desse governo corrupto.
    Perdeu a vergonha e decência de vez por todas.

    ResponderExcluir
  3. Nem os "nossos representantes" estão conseguindo falar a língua do desgoverno do Rio de Janeiro... Infelizmente, temos a obrigação de irmos pra cima, entrarmos na ALERJ e começar a jogar "disputado" na lata de lixo... Estão disputando quem vota contra ou a favor da nossa sobrevivência... Estado sem rumo e sem direção... Estamos fudidos se ficarmos quietos a este escarnio com nossas vidas!!!

    ResponderExcluir
  4. É um bando de canalhas, de almofadinhas, de cuzões, esse André Corrêa, há pouco tempo, era um borrabotas,sem expressão, hoje fica cantando de galo, como se fosse o dono da verdade, já está no esquema dos Piccianis, na sacanagem, já engordou até! Se botar esses putos numa fogueira o fogo apaga, não servem pra nada! Tinha q pegar um por um e jogar na vala! Garanto que os salários e 13°deles estão garantidos, se já não receberam, e só vão pagar o nosso dia 20 de janeiro(?), sera? Aí, tudo já passou, Natal, Ano Novo, a Polícia, Bombeiros, DEGASE, os bobos mantiveram a ordem, cumpriram os seus deveres, os ladrões ficaram tranquilos com suas famílias!? Aí, é janeiro é outro mês, outro ano, começa a sacanagem de novo!!!!

    ResponderExcluir
  5. O Pezão, ano que vem, não vai pagar nada, ele vai "pagar" é cadeia, junto com seu criador Cabral... A fila tá andando, depois dessas delações, qual o fim desse canalha!?

    ResponderExcluir
  6. O Pezão, ano que vem, não vai pagar nada, ele vai "pagar" é cadeia, junto com seu criador Cabral... A fila tá andando, depois dessas delações, qual o fim desse canalha!?

    ResponderExcluir
  7. Se falam o tempo todo do 13° dia 20 de janeiro tá . E o salario referente a dezembro? Iria esse governo pagar dois 13° no ano de 2017
    ? me poupem meus ouvidos e olhos..

    ResponderExcluir
  8. UM COMENTÁRIO.
    FORTES@@@@@@@@@2

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.