quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Estado quer empréstimo urgente para quitar salários

Antecipação de recursos é parte do acordo de recuperação fiscal entre o governo do Rio e a União

Rio - A intensa negociação que o governo do Rio faz com a União para a recuperação fiscal do estado será fechada na próxima segunda-feira e envolve também a liberação de um empréstimo bancário com urgência para garantir o pagamento integral da folha de dezembro e do décimo terceiro dos servidores.

A antecipação de receitas de royalties de petróleo seria a garantia para a concessão dos recursos. O governo federal terá que dar o aval para a operação. E a intenção do Executivo é colocar esse plano logo em prática, antes da votação do novo pacote de austeridade na Alerj. 


Representantes do estado acreditam que, quitando a folha do funcionalismo, cria-se um ambiente mais propício e viável para aprovação de medidas, como a taxação extra de contribuição previdenciária e a venda da Cedae.

Jorge Picciani defende novo pacote afirmando que será a salvação para sanear as contas do Rio

A ideia é que as ações da companhia — que será federalizada — sejam também as garantias para liberação de empréstimos. Aprovando todas essas ações, o estado fecharia o acordo de recuperação fiscal, e suspenderia o pagamento das dívidas com a União por quatro anos. 

Questionado pela coluna sobre a antecipação de recursos para quitar a folha e o décimo terceiro, o presidente da Alerj, Jorge Picciani (foto), do PMDB, disse que “tudo é uma equação para sanear as finanças do estado e o primeiro ato é colocar os salários em dia”. 

Apesar da intenção do governo de antecipar as verbas, o acordo ainda não foi fechado. Representantes do estado, que participam do processo de negociação, voltam a Brasília esta semana para fechar os detalhes do projeto de recuperação fiscal. 

Estão incluídas como contrapartidas à União a elevação da alíquota previdenciária dos servidores ativos e inativos (estes, apenas os que contribuem, ou seja, quem ganha mais de R$5.531,31) de 11% para 14%; a criação de taxa extra temporária (por três ou quatro anos) de 8% para quem está na ativa e de 6% para aposentados e pensionistas. A Alerj teria 90 dias para aprovar o novo pacote de austeridade. 

Em entrevista à coluna no domingo, Picciani defendeu as medidas. “Ainda que pagando temporariamente maior contribuição previdenciária, os servidores vão receber em dia e não com meses de atraso e sem saber o dia e ainda em muitas parcelas”, declarou.

Estado quita folha de novembro

O estado informou que quitou ontem a folha atrasada de novembro. A previsão inicial era de que a quinta e última parcela dos vencimentos fosse paga hoje. Foram depositados, ontem, R$ 138 milhões. O valor líquido da folha foi de R$ 2,1 bilhões. O salário de dezembro começou a ser pago na sexta, para ativos da Educação e do Degase, com recursos do Fundeb.

R$ 6,5 bilhões em 2017

O serviço da dívida do estado com a União (prestação a pagar com juros e amortização) só este ano é de R$3,3 bilhões. E o valor a ser pago sobre os contratos de operações de créditos também em 2017 é R$3,2 bilhões. Ou seja, se a recuperação fiscal do estado vingar, o estado deixa de pagar este ano R$ 6,5 bilhões ao governo federal.

11 comentários:

  1. PICIANE CARA DE PORCO, FALA PRO PEZÃO PEDIR DINHEIRO AO CABRAL. SERÁ QUE ELE ESTA RECEBENDO VISITAS, TEMOS QUE VIGIAR ISTO.
    JUNTOS SOMOS FORTES@@@@@@@@

    ResponderExcluir
  2. É preciso iniciar um movimento radical contra a cota extra previdenciária, que vai confiscar 22% dos salários dos ativos. A intenção do Pezão é cobrir o roubo da corrupção com a sobrevivência dos militares e demais funcionários públicos.

    ResponderExcluir
  3. Todo mundo parando, e a PM ????? Tá aí o motivo dessa quadrilha do governo medir força com a classe esses PMS covardes

    ResponderExcluir
  4. PICIANE VOCÊ TEM UMA CARA DE PINGUÇO NÃO TEM COMO ESCONDER, VOU LEVAR AQUI DE MINAS, UM GARRAFÃO DE CACHAÇA PARA VOCÊ, EM HOMENAGEM DOS BOMBAS. ELA VAI FICAR UM POUCO ESCURA PORQUE ATÉ CHEGAR O CHUMBINHO DERRETEU.
    JUNTOS SOMOS FORTES@

    ResponderExcluir
  5. PMS NÃO VEM COM DESCULPA QUE A ESCALA É APERTADA. AQUI EM MINAS É IGUAL OU PIOR DO QUE A DE VOCÊS, E ELES SAIRAM TODOS FARDADOS E MARCHANDO NO CENTRO DE BH. ARRANJA OUTRA.
    JUNTOS SOMOS FORTES@@@@@@@

    ResponderExcluir
  6. Até agora nada de pagamento.

    ResponderExcluir
  7. P...! Não dá mais pra aguentar falar em 20 ou 22%, esses canalhas vão ter que sangrar. Tão querendo gozar com o p...dos outros, vão se f...governo incompetente fdp!!!

    ResponderExcluir
  8. Agora só falta tentar vender o funcionalismo como escravos para tentar sanear as finanças.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  10. É PMERJ O PEZÃO ESTA CAGANDO PRA VOCÊS, ESTA CRIANDO UMA TAL DE FORÇA ESTADUAL PARA TOMAR CONTA DAS PRAIAS. É O MESMO QUE A FORÇA NACIONAL, E VÃO GANHAR MAIS QUE VOCÊS. ISSO É UM ESCULACHO. CADA UM PAGA O QUE DEVE.
    JUNTOS SOMOS FORTES##@

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.