quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

TRE cassa a chapa Pezão-Dornelles


Pezão convoca cúpula de segurança Foto: Domingos Peixoto / O Globo


Por três votos a dois, o plenário do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) cassou, na tarde desta quarta-feira (08), a chapa formada pelo então candidato a governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) e seu vice, Francisco Dornelles (PP), nas eleições ao governo do Rio em 2014.

O tribunal julgou uma representação impetrada pelo deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL) e considerou que houve abuso de poder econômico e político da chapa encabeçada pelo PMDB. Além da cassação, a dupla foi declarada inelegível por oito anos.

De acordo com o TRE, o crime de abuso de poder econômico e político ficou configurado porque o governo do estado concedeu benefícios financeiros a empresas como contrapartida a doações para a campanha do então candidato Pezão e de seu vice.

Ainda cabe, é claro, recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). E, como houve efeito suspensivo, Pezão e Dornelles permanecem no governo até o fim do julgamento.

Mas, pela primeira vez na história do TRE, condenou-se à perda do cargo um governador e um vice - e com sanção de inelegibilidade.

Que fase, Pezão, que fase...

Veja a íntegra da nota do TRE:



TRE-RJ cassa Pezão por abuso de poder econômico e político

08/02/2017 - 19:12

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro cassou, na sessão desta quarta-feira (8), os mandatos do governador, Luiz Fernando de Souza Pezão, e do vice-governador, Francisco Dornelles, por abuso de poder econômico e político, tornando-os inelegíveis por oito anos. A Corte determinou ainda que sejam realizadas eleições diretas para a escolha dos representantes do Poder Executivo estadual. A decisão, no entanto, somente produz efeito após o trânsito em julgado, ou seja, quando não cabe mais recurso, de acordo com o artigo 257, parágrafo 2º, do Código Eleitoral.

Por maioria dos votos, o abuso de poder econômico e político ficou configurado uma vez que o Governo do Estado do Rio de Janeiro concedeu benefícios financeiros a empresas como contrapartida a posteriores doações para a campanha do então candidato Pezão e de seu vice. "Restou comprovado que contratos administrativos milionários foram celebrados em troca de doação de campanha", afirmou um dos membros da Corte, desembargador eleitoral Marco Couto, em seu voto.

4 comentários:

  1. às vésperas da paralização marcada para o dia 10, o TRE decide cassar a chapa através do pedido protocolado em 2014. Puro fechamento

    ResponderExcluir
  2. NOTARAM A EXPRESSÃO DA CARA DELE COM O DEDÃO NA BOCA. ELE DEVE ESTAR PENSANDO, SERÁ QUE DESCOBRIRAM? SÓ PODE SER O VELHINHO QUE ENTREGOU.

    ResponderExcluir
  3. Será que ele vai ser cassado!
    QUANDO JULGAR O RECURSSO NO TSE, JÁ ACABOU O GOERNO DELE...
    PELO MENOS TEREMOS A CERTEZA QUE DURANTE 8ANOS ELE TÁ FORA!!!

    ResponderExcluir
  4. Oficial apela à tropa que volte a policiar as ruas de Cachoeiro

    O chefe do Comando de Polícia Ostensiva da Região Sul (CPO SUL) da Polícia Militar do Espírito Santo, tenente-coronel Alexandre Quintino Moreira, apelou aos militares que voltem para as ruas de Cachoeiro de Itapemirim. Seu discurso, que em alguns momentos apela à emoção, foi flagrado em vídeo, e aponta para o fim da paralisação que ocorre desde a noite de sexta-feira. Ele diz aos policiais que este não é o momento para desunião e, que a população já entendeu o motivo do manifesto. “A gente já falou o que tinha que falar. A sociedade sentiu a nossa falta”. O militar pede para que voltem ao policiamento e que se o governo não atender aos seus pedidos, eles param de novo. Diz ainda que muitos cachoeirenses perderam tudo na enchente, e enquanto a PM está aquartelada, perdem mais por causa da ação dos vândalos e ladrões. “A gente já provou que a sociedade precisa da gente. E eu preciso de vocês, não podemos deixar a sociedade sem ninguém. A população está clamando por ajuda”, apela. O policial comenta que tem 28 anos de serviço e que trabalha em prol dos cidadãos. “Cachoeiro está morrendo; os alunos não estão estudando; o comércio não está abrindo; os ônibus não estão circulando. Está difícil, está. R$ 2.600 está difícil, mas o governador vai nos ouvir” finaliza. Nesta terça-feira (7), o comandante do 9º BPM, Emerson Caus, chegou a anunciar o fim do movimento, mas a tropa não saiu da greve. Alexandre Quintino é o oficial legitimou o movimento, acrescentando que muitos policiais estão passando por necessidades básicas, devido à defasagem do salário. "A minha panela está fazia, assim como a panela do cabo está vazia, o nosso salário está defasado, isso é uma verdade", protestou o tenente-coronel Alexandre Quintino, na segunda feira em entrevista a uma emissora de tv.


    fonte: http://www.jornalfato.com.br/conteudo/policia/24394/oficial-apela-a-tropa-que-volte-a-policiar-as-ruas-de-cachoeiro-2


    PUBLIQUEM ESSE VÍDEO NA ÍNTEGRA SOS PARA CIÊNCIA DA TROPA!!! O VÍDEO ESTÁ NA MATÉRIA COMPLETO...

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.