sexta-feira, 31 de março de 2017

Servidor terá regra do setor privado para se aposentar

Estado e município que não mudarem sistema em 6 meses serão incluídos na PEC 287

Rio - Os estados e municípios que não cumprirem o prazo de seis meses para mudarem os sistemas de previdência dos seus servidores terão que se submeter às regras previstas pela PEC 287.

Assim, os funcionários públicos estaduais e municipais cujos poderes Executivos não adotarem mudanças nas concessões de aposentadorias vão seguir as normas a serem estabelecidas para a iniciativa privada, entre elas a implementação de idade mínima de 65 anos para aposentar, tanto para homens quanto para mulheres. 

Pezão disse que ‘não dá mais para esperar’ para fazer os ajustes e negou desgaste político com servidoresTomaz Silva / Agência Brasil

A ideia de estabelecer prazo de seis anos para que todos os estados e municípios façam os seus ajustes será apresentada pelo Palácio do Planalto como emenda à proposta de Reforma da Previdência, em tramitação na Câmara. Na semana passada, Temer decidiu excluir da reforma policiais militares, bombeiros e professores.

O presidente tomou a iniciativa após sofrer forte pressão da base aliada, que ameaçava votar contra a proposta. Mas, ele teve que voltar atrás para evitar questionamentos jurídicos. 

Ontem, o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, que passou o dia fazendo corpo a corpo com deputados federais para tentar garantir a votação do projeto de recuperação fiscal dos estados, afirmou que é favorável a proposta da União de passar para os estados e municípios a prerrogativa de discutir a reforma previdenciária nas Assembleias Legislativas. “Não vejo como ruim cada vez mais passar atribuições aos estados”, afirmou Pezão.

O governador disse que o prazo de seis meses para aprovação da reforma nos estados é factível. “Para quem vai ter eleição no ano que vem, tem de ser definido esse ano mesmo”, reforçou. 

Pezão enfatizou que “não dá mais para esperar” para fazer os ajustes e a reforma previdenciária e negou desgaste político com servidores estaduais ao debater o tema regionalmente. “O desgaste maior é deixar o salário atrasado. Tem de mostrar que a Previdência hoje não tem como (continuar como está)", emendou. 

Pezão disse que mais de 60% dos servidores se aposentam com menos de 50 anos e, por isso, a legislação deve mudar.“Não tem Tesouro que suporte”, concluiu.

14 comentários:

  1. NÃO ACREDITO nas boas intenções do MESAC,só está querendo arrumar um bom salário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, está fazendo igual ao daciolo,uma vergonha.

      Excluir
    2. ELES BOTAM A CARA PRA BATER E DEPOIS SE CANDIDATAM, MACETE VELHO.

      Excluir
    3. A SUJEIRA CONTUNUA

      Excluir
    4. A REALIDADE É QUE FOMOS ENGANADOS.QUE TRISTEZA.

      Excluir
    5. Eu quero ver botar a cara e viver com o salário do bombeiro.aí sim vou acreditar na boa intenção.

      Excluir
    6. Já vi este filme senhores!!!!

      Excluir
    7. Eu não voto em mais ninguém. Vou anular tudo.

      Excluir
  2. Daciolo ta igual so Cel. Rodrigues com isso vai prejudicar o Mesac, que tristeza Mesac vai perder muitos votos de bombeiros e familiares.
    Ferrandini.

    ResponderExcluir
  3. Enquanto isso continuam ocorrendo todos os anos o concurso pra Creche do Papai e os Praças amargando o congelamento dos concursos internos, externos e promoções ! Tem Subtenentes que já se encontram na mesma graduação há mais de 06 anos e sem perspectiva, motivação, o moral, enfim... Não tem ninguém pra subir a tribuna e relatar o que está acontecendo. E infelizmente temos um Subcomandante geral do CBMERJ que mora em Cantagalo e conhece as nossas necessidades e simplesmente incorporou juntamente com o Chefe geral a política do umbigo e farinha pouca o meu pirão primeiro.... Lastimável e decepcionante

    ResponderExcluir
  4. O ideal seria o acesso único: todos entrariam como soldados com possibilidade de chegar a coronel. Imaginem todo ano entrando 80 soldados e só com 16 anos de casa, podendo fazer para oficial.

    ResponderExcluir
  5. Enquanto isso...terminei minha graduação e pós....estudo diuturnamente para passar em concurso melhor.....do cbmerj só quero minha folga e a merrequinha que ganho.....não espero mais nada...hehehe....

    ResponderExcluir
  6. Depois do daciolo, não caio mais nessa de "alguem para brigar por nossos direitos" vamos deixar de ser trouxas!!!!

    ResponderExcluir
  7. Minha mãe sempre dizia: os dedos das mãos não são iguais !
    Para exemplificar que os irmãos são diferentes, uns dos outros, imaginem os companheiros de farda ?
    Parem de dizer que o Mesac é igual ao Daciolo, ninguém é a igual a ninguém, com tudo que estamos vendo o Daciolo fazer, tenho certeza que o Mesac fará diferente !
    Mas é o caso de acreditar ou não, não julgo quem desistiu dá LUTA, quem não acredita mais em ninguém...Ou quem resolveu acreditar no comando.
    Eu ainda tenho esperança, vou dar o último o tiro, nessa tentativa do MESAC.....
    Tem meu apoio e dá minha família, vai ser a minha última tentativa.

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.