segunda-feira, 3 de abril de 2017

Delator diz que esquema no TCE pagou R$ 900 mil em despesas de Pezão


O governador Luiz Fernando Pezão Foto: Pablo Jacob / O Globo

RIO — O advogado Jonas Lopes Neto afirmou em delação premiada que o subsecretário de Comunicação do governo do Rio, Marcelo Santos Amorim, contou a ele ter pago R$ 900 mil em despesas pessoais do governador Luiz Fernando Pezão com recursos oriundos de corrupção. Os valores viriam de empresas da área de alimentação que mantinham contratos com o estado.

Marcelinho, como é conhecido, é casado com uma sobrinha de Pezão. O subsecretário é citado em depoimentos ao Ministério Público Federal como um dos operadores do suposto esquema de corrupção que envolvia fornecedores do estado e conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Jonas Lopes Neto é filho do ex-presidente do TCE Jonas Lopes de Carvalho, que também firmou acordo de colaboração.

“Que Marcelinho, além dos R$ 150 mil recolhidos na Milano, apresentou ao colaborador uma anotação indicando que teria arrecadado quase R$ 900 mil junto às demais empresas, mas teria utilizado a quantia para pagamento de despesas do governador Pezão”, disse Jonas Lopes Neto.

Os delatores contaram que um dos braços do esquema envolveu a liberação de R$ 160 milhões, em 2015, de um fundo do TCE para o governo estadual, em função da crise financeira. A transferência ocorreu após a aprovação de uma lei na Assembleia Legislativa (Alerj) e foi direcionada para empresas que forneciam alimentação para os presidiários. O Tribunal concordou em dar a ajuda financeira desde que as empresas repassassem aos conselheiros 15% dos valores recebidos do governo estadual. Marcelinho, que já tinha uma relação estabelecida com as companhias, ficaria com 1% do valor arrecadado.

Pezão e Marcelinho já foram procurados, mas ainda não responderam.

FONTE: EXTRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.