sexta-feira, 14 de abril de 2017

Muspe pede que TCE não aprove contas de 2016

Conforme a coluna informou em 15 de fevereiro, o estado descumpriu diversos itens da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e também da Constituição

Rio - O Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais (Muspe) fez barulho ontem nas proximidades do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ), no Centro, em um ato para pedir que o órgão desaprove as contas de 2016 do governo. 


Muspe convocou manifestação perto do TCE para que o órgão reprove as contas de 2016 do governo do Rio; servidores também protestaram contra denúncias de corrupção

O ato começou às 15h, na Praça da República. Os servidores tentaram ir para a frente do prédio, mas havia barreira feita por PMs e guardas municipais. Conforme a coluna informou em 15 de fevereiro, o estado descumpriu diversos itens da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e também da Constituição.

O governo do Rio estourou o limite de gastos com pessoal do Executivo: 61,63% sobre a receita corrente líquida (o teto é 49%). Além disso, o percentual de aplicação em ações e serviços na Saúde foi de 10,35% sobre impostos e transferências legais, e o mínimo previsto pela Constituição é 12%. 

Em meio ao colapso nas finanças, ontem a Alerj debateu medidas emergenciais para ajudar o estado. O secretário da Casa Civil, Christino Áureo, esteve com o presidente em exercício da Alerj, André Ceciliano (PT), pedindo apoio ao projeto de lei que prevê a antecipação de percentual do ICMS que os maiores contribuintes tenham a pagar durante o ano.

FONTE: O DIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.