domingo, 7 de maio de 2017

Profissão de condutor de ambulância é reconhecida no Estado do Rio



Profissão: Deputado Milton Rangel disse que a regulamentação estadual da profissão é necessária (Foto: Divulgação)

Rio – A profissão de condutor de ambulância é reconhecida no Estado do Rio de Janeiro. A lei 7566/17, de autoria dos deputados Luiz Martins (PDT) e Milton Rangel (DEM), foi sancionada pelo governador Luiz Fernando Pezão e publicada no Diário Oficial do Poder Executivo, de sexta-feira (5). A atividade já é reconhecida pela Lei Federal 12.998/14, que alterou o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), incluindo o artigo 145-A, que prevê a necessidade de curso especializado, com atualização a cada cinco anos, para a função.

O deputado Milton Rangel disse que a regulamentação estadual da profissão é necessária. “É uma questão de saúde, a equipe de ambulância é composta por médicos e enfermeiros que têm um paciente que precisa ser conduzido de forma rápida, mas com delicadeza e segurança.”, ressaltou o parlamentar. A norma determina ainda a proibição do translado de paciente em ambulâncias sem a equipe completa de enfermagem.

O diretor do Sindicato dos Motoristas Condutores de Ambulância do Estado do Rio (Simcaerj), Luciano Lemos, comemorou a nova legislação e disse que representa um grande ganho para a profissão. “É muito importante para o nosso sindicato, que está em formação. Em março também foi aprovado o nosso piso salarial, que é o maior do Brasil (R$ 2.306,45, de acordo com a Lei 7.530/17). Agradeço à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) por ter nos proporcionado essa vitória”, disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.