quinta-feira, 11 de maio de 2017

Votação casada na Assembleia viabiliza salários e isenções fiscais


O presidente interino da Assembleia, André Ceciliano (PT) 

Até quem era contra acabou votando, na quarta-feira (10), na Assembleia, a favor da isenção de uma série de setores da economia — de concessionárias de automóveis a higiene pessoal — da contribuição para o Fundo Estadual de Equilíbrio Fiscal.

É que os espertos, que incluíram os polêmicos setores na isenção, fizeram a votação casada com o projeto que prevê a antecipação do ICMS — uma das poucas opções que o estado dispõe, hoje, para conseguir o dinheiro dos salários dos servidores.

Para aprovar um, era preciso aprovar o outro.

E quem poderia ser contrário a viabilizar os salários?

Reforço

Ao ver a base batendo cabeça — em especial, o líder do governo, Edson Albertassi (PMDB), o ultragovernista André Corrêa (DEM) e o presidente em exercício, André Ceciliano (PT) — Rafael Picciani (PMDB), filho do homem, entrou em campo.

Ele reuniu os governistas na quarta de manhã e costurou o acordo.

Em tempo: as péssimas línguas se referem ao trio formado pelos dois Andrés e Albertassi como “os três patetas”. Ô, gente má!