terça-feira, 13 de junho de 2017

Pezão é xingado na porta do Ministério da Fazenda em Brasília

Pezão publicou vetos parciais em leis aprovadas no contexto da adesão do Rio ao regime de recuperação fiscal



BRASÍLIA - O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), foi xingado nesta terça-feira na porta do Ministério da Fazenda, em Brasília. Pezão desembarcava de uma van com sua comitiva quando o motorista de um carro que entrava no estacionamento do Ministério começou a gritar:

— Pezão, ladrão, safado! Sua hora vai chegar!

Os seguranças do governador se apressaram e encaminharam rapidamente Pezão para a entrada do prédio.

Acompanhado do secretário da Fazenda e do secretário da Casa Civil, Pezão se reúne no Ministério da Fazenda com Ana Paula Vescovi, secretária do Tesouro, para discutir a crise fiscal no estado.



Fonte: EXTRA

3 comentários:

  1. Bom dia a todos! Sou Bombeiro, mas particularmente sou contra essa divisão de pagar os salários dos servidores da Segurança e Educação de imediato. Se a folha de pagamento chega a 2 Bilhões e 100 Milhões e com 960 Milhões ele nos paga, dá uma média de 45% do total. Seria fácil então,efetuar esse percentual para todos em seus pagamentos. Exemplo, se um Técnico de Saúde ganha R$ 1.000,00, receberia R$ 450,00 e assim vai para todos. Quanto a votar, eu, minha família e alguns amigos, prometemos a não votar em mais ninguém. Tenho vergonha de Brasileiro esse País não tem jeito, chegamos ao ponto de cada um por si e Deus por todos.

    ResponderExcluir
  2. Politicos corruptos tem que ser preso muda brasil.

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.