sexta-feira, 28 de julho de 2017

Governo do Rio poderá colocar salários mensais em dia a partir de 16 de agosto

Reunião no BNDES tratou da crise do Estado 

O Governo do Estado do Rio publicou, nesta sexta-feira, via Diário Oficial do Estado, a realização do pregão presencial para a venda da operação das contas-salário dos servidores públicos, além das operações com fornecedores, a uma instituição financeira. O pregão acontecerá no dia 9 de agosto. A previsão feita pela Secretaria de Fazenda e Planejamento é de receita de R$ 1,4 bilhão. Segundo o secretário Gustavo Barbosa, há a possibilidade de o dinheiro estar à disposição do Estado cinco dias úteis após o pregão.

— Vamos realizar o pregão e com os recursos colocar o salário mensal em dia. A entrada dos recursos, em função dos trâmites bancários, demora até cinco dias úteis — explicou Barbosa.

Contados os cinco dias úteis após o pregão, a previsão é de que os salários sejam colocados em dia a partir de 16 de agosto. Atualmente, por exemplo, a dívida sobre os vencimentos de maio e junho é superior a R$ 800 milhões.

— Tudo o que entrar no caixa do Estado tendo em vista essa operação será utilizado para encerrar ou diminuir a pendência com o funcionalismo. Todo o recurso vai para o pagamento das folhas — reforçou o secretário da Casa Civil, Christino Aureo.

O 13º salário de 2016, devido a mais da metade do funcionalismo, seguirá em baerto. o Estado conta com o empréstimo de até R$ 3,5 bilhões, que terá como garantia as ações da Cedae, para encerrar o passivo.

fonte: Extra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.