sábado, 26 de agosto de 2017

Cestas básicas excedentes serão distribuídas

Ao todo, serão doados 450 kits a partir das 9h no Sind-Justiça, que fica na Travessa do Paço 23, Centro do Rio

Rio - Hoje haverá distribuição do excedente de cestas básicas arrecadadas pela campanha do Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais (Muspe). Ao todo, serão doados 450 kits a partir das 9h no Sind-Justiça, que fica na Travessa do Paço 23, Centro do Rio. Desde que a ação solidária foi retomada, em julho, 9.264 cestas foram entregues.

A iniciativa começou em dezembro de 2015, quando ativos, inativos e pensionistas do estado passaram o Natal com atrasos salariais. Na ocasião, mais de cinco mil cestas foram doadas. Em julho, o Muspe decidiu fazer novamente a campanha diante da espera pelos pagamentos dos vencimentos de maio e junho.

“Será o último dia da ação. Estamos felizes pois conseguimos amenizar o sofrimento das pessoas quando muitas estavam há três meses sem salário. A campanha foi importante porque mostrou a realidade dos servidores do estado. Aguardamos agora que o governo restabeleça o calendário de pagamento”, declarou o integrante do Muspe, Ramon Carrera, que é um dos diretores do Sind-Justiça.


Na última quinta-feira, o Muspe levou a ação novamente à Zona Oeste: 358 pessoas com vínculos com o Executivo do Rio — muitas aposentadas — buscaram os alimentos em Bangu. 


DÉCIMO TERCEIRO

O movimento do funcionalismo estadual segue cobrando o pagamento do décimo terceiro de 2016 para 227 mil pessoas (com vínculos com o estado). O valor líquido que está em aberto é de R$ 1,2 bilhão. Além disso, os sindicalistas ressaltam a necessidade de adotar um calendário único para o crédito dos vencimentos de ativos, aposentados e pensionistas, independente da categoria, em dia. 

NEGOCIAÇÕES

Para quitar o 13º e garantir estabilidade no pagamento dos próximos salários, o governo do estado afirma que depende da adesão ao Regime de Recuperação Fiscal. Porém, as negociações com a União ainda seguem. Conforme a coluna mostrou ontem, a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional cobrou ajuste na lei do FEEF e o secretário de Fazenda, Gustavo Barbosa, foi a Brasília para apresentar o texto já sancionado.

FONTE: O DIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.