sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Em vez dos 3 mil anunciados, PM só tem 900 homens em UPPs aptos a ir para as ruas

A UPP Salgueiro é uma das que deveriam ser mantidas, segundo estudo da PM


Ao contrário do que foi anunciado pela Secretaria de Segurança, as UPPs não têm 3 mil homens em funções burocráticas aptos a reforçar o patrulhamento nas ruas imediatamente. Deste total, 1,6 mil policiais não podem sair dos quarteis. São agentes licenciados por diversos motivos: tratamentos psicológico e médico; lesões físicas ou fora de serviço por determinação judicial. O Estado Maior da PM ainda não sabe como vai lançar mão do efetivo prometido pela secretaria.

Segundo o estudo da PM encomendado pela Secretaria de Segurança para avaliar as UPPs, somente 900 agentes de unidades pacificadoras estão prontos para ir às ruas imediatamente: eles ocupam funções administrativas na Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) e em cada uma das 38 unidades. Outros 500 estão de férias, folgas ou receberam gratificações.

De acordo com o anúncio da secretaria, 1.100 PMs lotados nas UPPs passariam a patrulhar a cidade do Rio. Outros 900 iriam para a Baixada Fluminense e 550 para Niterói e São Gonçalo.

Ao final de três meses de pesquisas, uma comissão de oficiais do Estado Maior e da CPP apresentou ao comando da PM e à Secretaria de Segurança um relatório que sugeria a extinção de 12 UPPs. De acordo com o documento, somente as sete unidades da Grande Tijuca e seis da Zona Sul teriam o efetivo mantido. Também estava previsto o reforço do efetivo das oito UPPs dos complexos do Alemão e da Penha e das unidades de Manguinhos, Jacarezinho, Arará/Mandela e Providência, consideradas estratégicas (Veja a lista no quadro abaixo).




Fonte:   Extra

Um comentário:

  1. Simples retorne os militares cedidos a outros órgãos,não só a Pieri como tb o cbmerj.

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.