quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Prevendo 'atos violentos', Alerj veta a entrada de servidores para votação das contas de Pezão

Servidores estão do lado de fora da Alerj


A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) decidiu fechar as galerias do Palácio Tiradantes para a entrada de servidores na tarde desta quarta-feira. O Movimento Unificado (Muspe) convocou ato para acompanhar a votação das contas de 2016 do governador Luiz Fernando Pezão. Após indicação da segurança da Alerj, a presidência da Casa decidiu por vetar a entrada de pessoas em função da ameaça de "atos violentos".


Os servidores estão em frente ao Palácio Tiradantes aguardando informações a respeito da votação das contas de Pezão. Agentes da Polícia Militar acompanham a movimentação dos funcionários públicos.


— Ato violento é o que o governo tem feito com os servidores, que convivem com atrasos de salários desde 2015. Proibir o acesso da população à sessão que vota as contas do governador Pezão é, no mínimo, uma atitude antidemocrática. Essa é a resposta de um governo que parece ter medo de encarar a população de frente. Fomos impedidos de exercer a democracia, fato lamentável, principalmente porque o que estava em votação eram os gastos do governador Pezão. Lamentável é antidemocrático.





Fonte:   EXTRA