terça-feira, 17 de outubro de 2017

Servidores enfrentam pior atraso salarial mesmo com Regime de Recuperação


Mesmo após a assinatura do Regime de Recuperação Fiscal, o governo Pezão continua atrasando os salários dos servidores. Para aderir ao Regime, o governo do Rio se comprometeu a reduzir salários dos servidores (via aumento da alíquota previdenciária), a congelar os planos de carreira e as despesas primárias, como Saúde e Educação, por até 6 anos.

Mas nada disso adiantou. Com a adesão ao Regime já formalizada, os servidores do Rio agora enfrentam o pior atraso salarial desde o início da crise. O governo completou 62 dias sem pagar sequer um centavo a 38 mil servidores públicos. A esses servidores, o governo deve os salários de agosto, setembro, o décimo terceiro de 2016 e metade do décimo terceiro de 2017.

Neste dia 16, a Secretaria de Fazenda declarou ao RJTV que não há qualquer previsão de pagamento dos vencimentos agosto para esse grupo de servidores. Outras categorias, no entanto, seguem recebendo salários em dia, como é o caso dos juízes e deputados.

Fonte: UERJ Resiste

Um comentário:

  1. Parece "SUSPEITO",cobrar aliquota de14% dos servidores antes de pagar o 13º!?
    Será que este governador 71 que arrecadar 1º nos descontos para depois pagar o 13º e os salarios atrasados.
    JÁ alterou o edital da CEDAE e o LEILÃO será dia 27/10, com certeza vai atrasar o pagamento do 13º de 2016.
    Tá arriscado recebermos o 13º de 2016 so em DEZEMBRO...
    -PESSOAL do MUSPE ACORDEM!!!

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.