sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Dívida com servidores aumenta e Rio inicia dezembro em situação pior que há um ano

Servidores seguem na luta por direitos



O governo do Rio inicia o mês de dezembro sem oferecer aos servidores estaduais a garantia de que haverá, ainda este ano, condições de pôr os salários em dia e de voltar a pagar os vencimentos na data correta. Para se ter uma ideia, a situação, hoje, é pior do que a vivida há um ano. No início de dezembro de 2016, o Estado devia "apenas" um mês de salário — o salário de outubro, pago em novembro, estava atrasado.

Hoje, porém, são dois meses pendentes, sem contar o 13º não pago de 2016. Sobre o vencimento de setembro, que deveria ter depositado em outubro, cerca de 68 mil funcionários ainda não receberam o pagamento. Sobre outubro, a pendência atrapalha a vida de 206 mil trabalhadores ou aposentados e pensionistas.


Burocracia emperra aval a empréstimo


Alternativa para quitar tudo o que é devido, o Estado ainda não tem prazo para receber o empréstimo de R$ 2,9 bilhões que terá como garantia as ações da Cedae. Integrantes do governo apontam a "burocracia" como responsável pela demora do aval para a chegada do empréstimo. Ainda há a esperança de que o acordo seja finalizado até a próxima semana.

O governo do Rio ainda garante que, com a chegada do empréstimo, será capaz de quitar todas as pendências — salários mensais, 13º devido e gratificações em aberto.



Fonte:  EXTRA

Um comentário:

  1. Estão postergando a liberação para pagar o 13° de 2016 em 2017 e o d 2017 ficará para o ano, tal como o antecessor. QQ imbecil já percebeu a malícia

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.