sábado, 16 de dezembro de 2017

Pezão admite necessidade de outra operação de crédito para colocar salários em dia


Não será dessa vez que o governo do estado vai pôr os salários dos servidores em dia. A promessa de que o empréstimo de R$ 2,9 bilhões — que terá como garantia as ações da Cedae — seria suficiente para bancar as folhas de outubro e novembro, o 13º de 2016 e mais gratificações, caiu por terra.

Nesta sexta-feira, antes mesmo de assinar o aval para o empréstimo, o governador confirmou que só pagará, na próxima semana, o mês de outubro e o abono natalino do ano passado. Os vencimentos de novembro e o 13º deste ano terão de esperar. E esse não foi o pior recado dado por Luiz Fernando Pezão.

O governador reconheceu que precisará de outra operação de crédito para tentar botar as contas em dia. Em janeiro do ano que vem, o governo estadual vai ao mercado na tentativa de antecipar receitas de royalties do petróleo. A intenção é receber US$ 500 milhões, algo em torno de R$ 1,6 bilhão.

— Já começamos a fazer (a operação) há muito tempo. Está no final. É que os bancos no exterior fecham agora para balanço, e voltam no dia 6 (de janeiro) — disse.

Pezão reconheceu que somente com essa operação será possível pagar o 13º salário de 2017, e explicou que a transação não precisa do aval da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

— A previsibilidade vai ser mantida, com muita dureza.

Um comentário:

  1. ELE QUER MAIS DINHEIRO TOMARAM O QUEIJO SUÍÇO E FRANCÊS DO CABRAL; E PICIANE DEVE TER UM TONÉL DE 200 LITROS DE CACHAÇA GURTIDA EM CARVALHO SEM O V EM TODAS AS CELAS;;;;;;;;;;;;;;;

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.