quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Pezão assina empréstimo com BNP Paribas, e depende somente do aval da União


Pezão assina contrato com banco francês 

O governador Luiz Fernando Pezão assinou, na manhã desta quinta-feira, o contrato de empréstimo de R$ 2,9 bilhões junto ao banco BNP Paribas Brasil. O acordo terá como garantidora a União, e como contragarantia as ações da Cedae. Este é o penúltimo passo para que o Rio receba os valores prometidos para o pagamento dos servidores. Resta o aval do ministério da Fazenda para a operação. Os técnicos da Fazenda ainda não comunicaram o Estado se o aval sairá nesta quinta-feira.

Segundo o governador Luiz Fernando Pezão, os integrantes do Estado estão no aguardo da avaliação da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN). Este é o último procedimento da operação. Pezão e seus assessores estão em Brasília na espera de algum comunicado por parte da União.


Mais uma etapa vencida! Estou em Brasília assinando o acordo com o banco BNP Paribas, que vai permitir o empréstimo de R$ 2,9 bilhões ao Governo do Rio.

Na última terça-feira, Pezão fez a previsão de que o contrato seria assinado hoje, com o aval da União. Até o fim da noite de ontem, porém, a PGFN não havia dado seu parecer positivo a transação. Novas demandas foram feitas, o que obrigou técnico da Fazenda estadual a novas avaliações do contrato.

Caso assine o contrato nesta quinta-feira, o Rio receberá parte do empréstimo, cerca de R$ 2 bilhões, até a próxima terça-feira. A previsão do governo é de quitar todos os vencimentos em atraso até o dia 20.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.