quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

GENERAL DIZ QUE INTERVENÇÃO É RETROCESSO - O QUE VOCÊ ACHA BOMBEIRO? OPINE


Intervenção militar seria enorme retrocesso, diz comandante do Exército

Segundo Villas Bôas, pedido de setores da sociedade mostra gravidade do país

O comandante do Exército Brasileiro, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, afirmou nesta terça-feira (23) que a existência de setores da sociedade que pedem intervenção militar no Brasil sinaliza a gravidade dos problemas que o país enfrenta.

"Isso, na minha opinião, é um termômetro da gravidade do problema que estamos vivendo no país. Intervenção militar seria um enorme retrocesso", disse Villas Bôas, em palestra no Seminário Brasil: Imperativo Renascer, realizado na Escola de Magistratura do Estado do Rio de Janeiro.

Existência de setores que pedem intervenção sinaliza gravidade que país enfrenta, afirmou general

O general Villas Bôas citou uma pesquisa de opinião que apontava o apoio de mais 40% da população à ideia de intervenção e disse que tal adesão, por outro lado, reflete a confiança desses setores da população nas Forças Armadas. "Interpreto também aí uma identificação da sociedade com os valores que as Forças Armadas expressam, manifestam e representam", acrescentou. De acordo com o general, a Marinha, o Exército e a Aeronáutica são também "guardiões da identidade nacional", que ele considera estar em um caminho de fragmentação.

Villas Bôas destacou que o tema defesa não teve relevância nas últimas campanhas políticas. Para tentar inverter esse cenário, o general disse que o Exército tem dialogado com candidatos à Presidência da República. "Estamos fazendo contato com os candidatos mais ou menos consolidados, e oferecendo consultoria e ajuda para que trabalhem nesse sentido."

Na visão do comandante do Exército, existe no país uma percepção de que a soberania nacional não sofre ameaças, o que faz com que o debate sobre defesa não tenha apelo na sociedade. "Somos o único grande país não beligerante. Este é o lado ruim de uma coisa boa. Nos falta o sentimento de um projeto nacional."

Rio Grande do Norte

Entre as funções das Forças Armadas no país, Villas Bôas mencionou o emprego de militares em operações como as de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), em curso atualmente no Rio de Janeiro.

No caso do Rio Grande do Norte, onde as Forças Armadas atuaram três vezes em menos de dois anos, o general disse acreditar que as operações vão ser necessárias novamente. "Em um ano e meio, fomos empregados três vezes no Rio Grande do Norte e, nesse espaço de tempo, não houve nenhuma modificação estrutural no sistema de segurança pública daquele estado. E nós sabemos que logo seremos chamados a intervir novamente."

8 comentários:

  1. Esse general é adepto do comunismo. Foi posto lá por Lula e endossado por Dilma. QQ outro q não seja covarde safado como ele, vê a intervenção como uma palmada a ser dada no filho que passa dos limites. Retrocesso é o líder máximo na nossa FA achar retrocesso na restauração da ordem.

    ResponderExcluir
  2. BOSTÃO, MELANCIA, VENDIDO.

    ResponderExcluir
  3. AS FORÇAS ARMADAS ESTÃO NO CANHOTO DA CORRUPÇÃO DOS POLÍTICOS A MUITO TEMPO, SE FIZER UMA AUDITORIA NAS TRÊS FORÇA VAI APARECER MUITA SUJEIRA A COMEÇAR DOS COMANDANTES , E SÓ PRESTAR ATENÇÃO : O PORQUE DE SEREM COMANDADOS POR UM PAISANO CORRUPTO .

    ResponderExcluir
  4. ESTA,OS MAL DE GENERAL ERA Ó O MOURÃO.

    ResponderExcluir
  5. É porque ele não quer trabalhar e não ama o Brasil. Tá mamando numa gorda teta... vai querer ralar pra quê? Vergonhoso... Nossa piscina tá cheia de ratos... como bem disse Cazuza!!!

    ResponderExcluir
  6. Esse nunca foi general... cuzao e medroso

    ResponderExcluir
  7. Comunista esse general.

    ResponderExcluir

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.