segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Associação cria fundo para ajudar PMs excluídos após greve no ES

Segundo a Associação de Cabos e Soldados, até o momento foram excluídos 11 policiais e outro 20 estão aguardando comunicado.


Onze policiais militares do ES já foram excluídos por participação na greve (Foto: Reprodução/TV Gazeta)


Um fundo para ajudar os policiais militares que foram excluídos da corporação no Espírito Santo, pelo motivo de participação da greve da categoria em fevereiro de 2017, foi criado pela Associação de Cabos e Soldados neste sábado (3). O comunicado foi feito durante uma assembleia geral, na data que marca um ano do início do movimento que resultou na paralisação do trabalho dos PMs.


Segundo a associação, até o momento foram excluídos 11 policiais e outro 20 estão aguardando comunicado. Os associados concordaram em contribuir mensalmente com R$ 10, que será descontada do pagamento deles sob a forma de cota extra.


A diretoria da Associação de Cabos e Soldados fará a fiscalização do fundo. O valor mensal arrecadado bem como a sua destinação serão divulgados nos canais oficiais de comunicação da associação. O fundo terá caráter temporário e será mantido pelo período necessário a reintegração nos quadros da PM e Bombeiros dos militares excluídos.




Reivindicações definidas


Durante a assembleia geral, os associados também definiram a pauta que será apresentada ao governo. São elas:

Anistia Administrativa;

Projeto de Valorização de Soldados;

Reajuste salarial pelos três anos sem o reajuste devido mais adicional de 50% devido ao período de desgaste sem a concessão do direito/incorporação especial;

Revisão da Lei 864/2017 (que também será discutida em mesas redondas);

Regulamentação da Carga Horária e Código de Ética em substituição ao RDME.



A pauta será apresentada ao governo e será dado um prazo de até a próxima assembleia da categoria (dia 3 de março) para responder sobre as reivindicações.



Fontre: G1