domingo, 29 de abril de 2018

Estado convoca mais de 1 mil para as polícias Civil e Militar

Secretário de Segurança já pediu nomeação de 96 papiloscopistas e chamada de 1.083 PMs

Para o secretário de Segurança, general Richard Nunes, convocação dos aprovados é prioridade

Ainda sob a intervenção federal, a Segurança Pública do Rio vai receber reforço de pessoal. É prioridade para o secretário da pasta, general Richard Fernandez Nunes, a nomeação de 96 papiloscopistas que já fizeram a Academia Estadual de Polícia Sylvio Terra (Acadepol), além da chamada de 1.083 aprovados em concurso de 2014 da Polícia Militar para que comecem logo o curso de formação de praças.
As informações foram confirmadas pela Secretaria Estadual de Segurança. E o general Nunes também chegou a falar sobre o assunto na semana passada em reunião do Conselho de Segurança Pública do Estado do Rio (Consperj).
Com isso, a população já poderá contar com esses mais de mil PMs atuando nas ruas no início do ano que vem. Em relação ao grupo de papiloscopistas, a expectativa é que eles comecem em junho, apesar de não haver informação oficial. O pedido de nomeação dos 96 policiais civis já foi feito pelo general à Secretaria Estadual da Casa Civil. Agora, falta a pasta dar a 'canetada' para que eles comecem a trabalhar.
A convocação dos concursados da Segurança já era esperada após o pagamento, na última terça-feira, do décimo terceiro salário de 2017, como o governador Luiz Fernando Pezão havia sinalizado. Vale lembrar que há uma fila de espera de aprovados em seleções para os cargos de oficiais de cartório da Polícia Civil, mais um grupo para papiloscopistas (que ainda não fizeram Acadepol), bombeiros militares e agentes penitenciários. Eles formaram uma comissão de aprovados para cobrar do governo as convocações.

ESPERANÇA RETOMADA

No caso dos 96 papiloscopistas, eles concluíram o curso da Acadepol em junho de 2016 e chegaram a abrir conta acreditando que seriam logo nomeados. De lá para cá, quase dois anos se passaram e nada se concretizou.
Agora, eles retomarão a esperança de enfim entrarem para a Polícia Civil. É o caso da advogada Carolina Pagy, de 29 anos, que é uma das representantes da comissão. "É um ano e meio correndo atrás de apoio para as nomeações. Já ouvimos muitas promessas, mas agora acho que vai se concretizar. E estamos nessa expectativa", contou.
Já Alex de Medeiros Junior, 23, integra o grupo de cerca de quatro mil aprovados para a Polícia Militar. "Embora existam problemas, quero entrar na corporação para mostrar que vale a pena lutar pelos valores, para servir e proteger a sociedade", disse.

Grupo pede apoio na Alerj e CML


A comissão formada pelos concursados vem cobrando do governo as chamadas. Os aprovados têm articulado com deputados da Alerj, e também já foram duas vezes ao Comando Militar do Leste (CML).

De acordo com o grupo, no total, são mais de cinco mil aprovados na fila de espera. Só para a Polícia Civil, há 248 aguardando para serem oficiais de cartório, 220 papiloscopistas para fazer a Acadepol, e mais 96 papiloscopistas já formados.

Segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sindpol), Márcio Garcia, a instituição agoniza. Ele apontou o déficit: "Temos 9.300 policiais ativos no estado, quando a lei prevê 23.800. A situação é dramática em relação ao pessoal. Assim, em pouco tempo seremos obrigados a fechar as portas de delegacias e postos de polícia técnica".



Fonte:  O DIA/ Coluna do Servidor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.